Restos de Colecção: Tabacaria Neves

5 de maio de 2021

Tabacaria Neves

A "Tabacaria Neves" abriu as suas portas, pela primeira vez, em 1864 na Praça D. Pedro IV, 42 esquina com a Calçada do Carmo, em Lisboa, tendo sido seu fundador Augusto Jorge das Neves. Nesta loja, do prédio que tinha pertencido às freiras Grillas e posteriormente vendido ao capitalista Sequeira Lopes, tinham funcionado, em 1800 o livreiro Antonio Jose de Carvalho e em 1809 uma loja de caixotes.


"Tabacaria Neves" (dentro da elipse) em foto do final do século XIX

24 de Dezembro de 1872

Por morte deste sucedeu-lhe o seu filho Julio Augusto Jorge das Neves, sob a firma "Julio Neves & C.ª ", que a ampliou o estabelecimento ao nº 43 e impulsionou o negócio. Julio das Neves era, igualmente, proprietário da "Tabacaria Julio", na Calçada do Carmo.

Neste estabelecimento costumavam reunir-se os notáveis da política, que ali travavam discussões ou derimir impressões trocadas nas Côrtes.

"Na tabacaria Neves encontra-se á venda um completo sortimento de tabacos nacionaes e estrangeiros, aguas potaveis e mineraes, artigos para fumadores e papelaria, loterias, sellos, photographias representando os mais interessantes aspectos do paiz, postaes illustrados, objectos artisticos para brinde, perfumarias de marcas cotadas, livros , jornaes, papel para escrever e mais, enfim, uma variedade e excellencia de fornecimento que convida a uma visita ao estabelecimento."


1 de Abril de 1879


"Tabacaria Neves" dentro da elipse desenhada


18 de Novembro de 1894


Postal editado pela "Tabacaria Neves"

Foi na "Tabacaria Neves" em Março de 1895 que foi instalado um Kinetographo de Edison e a troco de uma moeda de 100 réis, podiam ser observadas imagens animadas, através de um óculo entre as 10 horas da manhã e as 11 horas da noite. Foi um sucesso curto já que a concorrência e os custos elevados ditaram o fim destas máquinas em lugares público.

E se precisasse de um jantar ao domicílio ... também se arranjava.

28 de Setembro de 1897

E para acompanhar o jantar ... um vinho ou umas águas de Moura, Cintra e Caneças.


1 de Janeiro de 1898

De referir, ainda, que este estabelecimento foi durante muitos anos sucursal do jornal "Diário de Notícias" até 27 de Outubro de 1938 , data em que foi inaugurada a "Sucursal do do Diário de Notícias" na esquina da Praça D. Pedro IV com a Rua Áurea, e cuja história poderá ler neste blog no seguinte link: "Sucursal do Diário de Notícias"

Sucursal do jornal "Diario de Notícias" em 1928


22 de Dezembro de 1938

A "Tabacaria Neves" deu lugar à "Casa Travassos, Lda.", entre 1939 e 1941 que era propriedade da "Casa Travassos" sediada na Rua da Palma, conforme anúncio seguinte.


Na "Revista Municipal" dos 3º e 4º trimestres de 1942


1961

Actualmente, e desde o ano 2000, nos números 42 e 43 (ex- "Tabacaria Neves") funciona a "NovaCambios - Agência de Câmbios, S.A." da "Casa Travassos, Lda.". A seguir, foto actual.

fotos in:  Hemeroteca Digital de LisboaArquivo Municipal de LisboaBiblioteca Nacional Digital

2 comentários:

Margarida Elias disse...

Por curiosidade, aqui trabalhou Carlos Reis, antes de se tornar pintor, porque era parente de Fortunato Augusto das Neves. Cf. Pedro Reis, «Carlos Reis», ACD Editores, 2006, p. 27.

José Leite disse...

Grato pela informação adicional

Cumprimentso