Restos de Colecção

Notícias do Blog

Durante o mês de Agosto, e por motivos de "férias do pessoal", só serão publicados novos artigos aos Domingos // Foram actualizados os seguintes artigos: "Livraria Ferin", "Casa Memoria" de Santos Beirão, "Fotocolor" - Fotografia e Cinema, e Cinema "Arco Iris". Para aceder rapidamente aos mesmos consulte a página Alfabético e Actualizações em Índices e Actualizações // Lembro que a página "Ano ou Data de Inaugurações e Eventos", disponível no menú "Dados Históricos", é actualizada regularmente com novas entradas // Para conhecer as novas funcionalidades e aceder a novas plataformas de informação neste blog, consulte a "Folha Informativa", disponível na barra lateral    //    Para melhor conhecimento destas alterações aconselha-se, igualmente, uma visita, ou revisita, ao "Guia do Blog", disponível tambem na mesma barra lateral

18 de agosto de 2019

Curiosidades Automobilísticas (30)

Inauguração do stand da firma "H. Queiroz, Lda - Engenheiros", na Rua Braancamp, em 1 de Setembro de 1928, representante dos automóveis "Willys Knight"




Inauguração do stand da firma "Freitas, Filho & C.ª", na Rua Alexandre Herculano, em 16 de Janeiro de 1929, representante dos automóveis "Marmon"




Inauguração do stand da firma "Seter, Lda", na Rua S. Pedro de Alcântara, em 1 de Setembro de 1929, representante dos automóveis e camionetes "Talbot"




Entretanto, em 28 de Dezembro de 1922 ...


Inauguração do stand da firma "F. H. d' Oliveira & C.ª, Lda", na Avenida 24 de Julho, em 2 de Janeiro de 1931, representante dos automóveis "De Soto" e camionetes "Fargo"



Nota: De referir que a empresa "F. H. d' Oliveira & C.ª, Lda.", fundada em 1895, iniciava-se desta forma no negócio automobilístico, já que tinha começado a sua actividade no ramo dos materiais para a construção, com instalações, igualmente na Avenida 24 de Julho (quase esquina com a futura Avenida Infante Santo). Na continuação da diversificação dos seu negócios inauguraria em 28 de Maio de 1957 o "Hotel Residencial Infante Santo", no terreno, sua propriedade, esquina com a, já existente, Avenida Infante Santo.


Inauguração do stand da firma "Henrique Lehrfeld" na Travessa do Carmo, em 4 de Maio de 1929, represente dos automóveis e camions "Opel" e respectiva publicidade




11 de agosto de 2019

Antigamente (150)

Carro de distribuição das bolachas e chocolates "Favorita", em 1926


Sorteio da "Casa do Alentejo", em 1951


Senhas para sorteios



Instalações da "Mobil Oil Portuguesa" inauguradas em 20 de Julho de 1956 em Cabo Ruivo


Stand na "Feira Popular de Lisboa", na Palhavã



30 de julho de 2019

A Pompadour

A loja "A Pompadour" situada na Rua Garrett, ao Chiado, em Lisboa, projectada pelo arquitecto Raúl Lino (1879-1974), foi inaugurada em 23 de Junho de 1924. Pertencia à firma "Pompadour - Pinto de Lima, Lda." cujos sócios-gerentes eram Joaquim Pinto de Lima e Virgínia Costa e cujas instalações iniciais, tinham sido os seus ateliers nas Rua Gomes Freire. Esta família já era proprietária, desde 1909, da famosa “Perfumaria da Moda” na Rua do Carmo, que veio a ser consumida pelo grande incêndio na baixa lisboeta a 25 de Agosto de 1988, e que em consequência deste fatídico acontecimento, viria, posteriormente, a funcionar provisoriamente na loja "A Pompadour".

"A Pompadour" na Rua Garrett, em Lisboa


Que veio ocupar a loja onde tinha funcionado a "Trianon" (na foto seguinte e dentro da elipse desenhada)


Localização de "A Pompadour" na Rua Garrett (dentro da elipse desenhada) em foto nos anos 60 do séc. XX


"A Pompadour" terá sido fundada uns meses antes, por volta de Março de 1924 na Rua Gomes Freire 163-2º, onde se localizavam os seus ateliers e mantinha um balcão de vendas.

Anúncio publicitário em 2 de Abril de 1924


Seu nome foi inspirado na “Madame de Pompadour”, amante de Luis XV de França e uma das mulheres mais influentes de França no seu tempo. De seu nome Jeanne-Antoinette Poisson, apesar de vir de uma classe social inferior, com perseverança e determinação rapidamente alcançou um lugar de destaque na corte de França. Luis XV apaixonou-se por ela e esta chegou a governar Versailles, com a astúcia de um verdadeiro monarca.

Madame de Pompadour


No dia da sua inauguração o jornal "Diario de Lisbôa" noticiava:
«No Chiado, em frente á Rua Ivens, na casa onde estava instalado o "Trianon" inaugurou-se esta tarde a séde de "A Pompadour, Limitada", a elegante casa de espartilhos e cintas que tem os seus "ateliers" na Rua Gomes Freire, 163, 2º (Tel. N. 4193).
Foi muito visitada, tendo feito explendido negocio.
Foi uma feliz ideia a dos proprietarios do novo estabelecimento, abrindo-o no Chiado, onde tanto se fazia sentir a falta duma casa deste genero.»

                                                                Interior de "A Pompadour" na Rua Garrett





Projecto do arquitecto Raúl Lino




As pinturas ornamentais ficaram a cargo da pintora Estrela Faria


Estrela Faria (1910-1976)


No mesmo ano de 1925 abrem uma sucursal na cidade do Porto, na Rua das Carmelitas, nos "Armazéns da Capela".


Foto mais recente da sucursal portuense


1925


1933


Cartaz publicitário produzido pela "A.P.A. - Agência de Publicidade Artística"


Pano publicitário num Cinema/Teatro


Na revista “Notícias Ilustrado”  em 23 de Junho de 1929 podia-se ler:
«Casa que rapidamente se impoz à consideração do público pela superior qualidade e elegância “rafinée” dos seus modelos de Cintos, Espartilhos e “Soutiens-gorges”, pelo seu sistema de vendas moderno e pratico, pelos seus gabinetes de prova onde as Exmas. damas podem vestir e experimentar os modelos que mais se adaptem ao seu busto, é com justiça considerada a primeira casa do paiz. Chic e moderno estabelecimento que ao Chiado dá uma nota de elegância parisiense e onde as nossas lindas lisboetas dão “rendez-vous”.
Os seus artigos não são feitos em serie, desarmoniosos e deselegantes, como os  que são feitos em "fabrica", mas lindos e cuidados como tudo o que produzem os seus meticulosos e exemplares "ateliers".
A Administração moderna e desempoeirada exercida pelos socios-gerentes, que do "metier" teem vastos conhecimentos, snrs, Joaquim Pinto de Lima e D. Virginia Costa, tem feito progredir esta grande organisação industrial.
Ali tudo é feito com modernismo e distinção tanto os artigos que apresenta como o modo de tratar os clientes, que saem encantados. É verdadeiramente a casa que na elegancia feminina dita leis. Dir-se-ha ainda inspirada do Além ... Madame de Pompadour, a rainha da elegância que aureolou de graça e sugestivo encanto o reinado magnificente de Luiz XV.
Na arte de bem vestir "A Pompadour" tem no nosso paiz a função maravilhosa dum perfeito instituto de elegancia feminina. Os seus Espartilhos, Cintas e Soutiens-gorges duma concepção originalissima, são hoje os preferidos pelas damas que desejam vestir com elegancia, etc.»

            


Catálogo gentilmente cedido por Carlos Caria

Fábrica de cintas e espartilhos de "A Pompadour"



Em 1933 "A Pompadour" inaugura uma sucursal na Rua Augusta, a "A Pompadour - Sucursal Económica" e mais tarde, em 1956, anexa a velhinha "Papelaria Verol" para ampliação deste, transformando-a dessa forma num grande e moderno estabelecimento em 1957.


Depois de ampliado o estabelecimento em 1957


Actualmente, e no lugar de "A Pompdaour" Sucursal Económica, está em actividade a "Langiarte", que comercializa, igualmente, roupa interior e lingerie. Esta loja pertence ao Grupo com o mesmo nome, fundado em Janeiro de 1987 e propriedade de Mário Faria e Idalina Faria. 

Tampa de caixa em 1943


Em 1955 o arquitecto Raúl Lino executa os projectos de alteração da fachada da loja na Rua Garrett, e sensívelmente na mesma altura instalava, em edifício próprio na Palhavã, a sua fábrica definitiva.




                            1941 (autoria: Maria Keil)                                                    1947 (autoria: Fred Kradolfer)





Depois de encerrada, por volta de 2003/2004 deu lugar, em 2005, a uma loja de pronto-a-vestir “Vitrine” que procedeu a grandes alterações na decoração, que depois de ter desaparecido todo o mobiliário original só restou a a "screen-fachada" do fundo da loja, elemento mais importante e determinante da sua arquitectura de interiores, juntamente com os candeeiros. Esta loja viria a encerrar em 2010 e foi substituída, pela cadeia de lojas de cristais “Swarovsky” em 2011.

"Vitrine" 


Paralelamente à fundação e abertura da loja "A Pompadour", surgiu no mercado uma linha de perfumaria com a mesma designação "Pompadour". Esta linha de perfumes, higiene e cosmética surge no mesmo ano de 1924, fabricada e comercializada pela "Perfumaria Mendonça" pertença da firma "Thomaz Mendonça, Filhos Limitada", localizada na Calçada do Combro, 43-45 em Lisboa.

31 de Março de 1924


Esta firma já existia em 1898, como depósito da «fabrica de gommas» e perfumaria de Thomaz Antunes de Mendonça, na mesma Calçada do Combro no nº 47. Como a loja de cintas e espartilhos "A Pompadour" também comercializava produtos da mesma linha "Pompadour", creio que esta marca terá sido utilizada por comum acordo entre as duas firmas, - e comercializada pelas duas - dada a coincidência de datas. Repito «creio», já que não consegui obter confirmação do que acabei de mencionar.

9 de Fevereiro de 1888


10 de Abril de 1898


Factura passada à Rainha D. Maria Pia em 13 de Janeiro de 1908


Agosto de 1924


Venda de perfumes e afins na loja "A Pompadour" pelo actor Erico Braga durante a "Semana dos Artistas" em 23 de Janeiro de 1928.


As actrizes Amelia Pereira e Maria Sampaio fazendo venda na secção de cintas e espartilhos durante o mesmo evento



Antiga loja "A Pompadour", actualmente "Swarovski", em foto do "Google Maps"