Restos de Colecção: Verol & C.ª - Livraria e Papelaria

15 de novembro de 2020

Verol & C.ª - Livraria e Papelaria

A livraria e papelaria "Verol & C.ª" que esteve instalada na Rua Augusta 134-136, foi fundada em 1836 na Rua dos Algibebes, em Lisboa, pelo encadernador Antonio Maximo Verol Senior  Mantinha as suas oficinas de encadernador na R. Arco do Bandeira, em Lisboa. Viria a ser ampliada em 1900.



A "Verol &C.ª", que era mais conhecida como "Casa do Militar à Porta", tinha um boneco à entrada, de terracota, e, entre artigos comuns de papelaria, editava e vendia folhas de soldados de papel, que custavam meio tostão.

Victor Verol contava, em 1916:

«O papeleiro Verol era meu pae, a sua profissão era encadernador, estabelecendo-se em 1836 na rua, então muito vulgar, dos Algibebes, passando depois para a rua d'Alfândegae d'ahi para a rua Augusta, sempre com officina de encadernador, a que juntou mais tarde a papelaria. Meu pai falleceu a 25 de Fevereiro de 1898.O apellido Verol provinha-lhe de seu avô, que er italiano, natural de Genova, d'onde veiu para Lisboa, no tempo do Marquez de Pombal, para a fabrica de ceramica do Rato, indo d'ahi para Bellas, ou suas proximidades, onde estabeleceu uma fabrica da sua especialidade, e ali constituiu familia, cuja descendencia á toda portugueza.»


1891


1909

«Era muito conhecida pela juventude daquela época», recorda o neto. Carlos Cutileiro. Alberto Cutileiro, pai de Carlos, trabalhou na Verol até o seu pai morrer. Nessa altura, foi convidado para trabalhar no Museu da Marinha e ficou sem tempo para a loja. A casa fechou. 


Factura em 30 de Agosto de 1917

Nas Papelarias e livrarias como as "António Máximo Verol Júnior", "A. A. da Silva Lobo", "Estêvão Nunes e Filho", "João Pereira da Silva e Filhos", ou da "Livraria Ferin", é possível afirmar pelo menos a ocorrência de uma transição do negócio de pais para filhos.

Verol Junior no livro "A Triste Canção do Sul"  - Alberto Pimentel (1904):

«Disse-me o sr. Verol Junior tencionar imprimir uma collecção de Fados, que abrange todos os periodos da historia de Portugal.»


Excerto do livro "A Triste Canção do Sul" (1844)

Em 1918, a "Livraria Verol & C:º" transformava-se em "Livrariria Verol, Suc." e mudava-se para a Calçada do Combro, 121, em Lisboa.

Sem comentários: