Restos de Colecção: Sucursal do “Diario de Noticias”

27 de setembro de 2018

Sucursal do “Diario de Noticias”

A nova sucursal do jornal Diario de Notícias”, na esquina da Praça D. Pedro IV (Rossio) com a Rua do Ouro, foi inaugurada em 27 de Outubro de 1938. Projectada pelo arquitecto Luís Cristino da Silva (1896-1976), foi construída pela “Sociedade de Construções Amadeu Gaudêncio” que tinha sido fundada três anos antes, em 1935.

 

Até então, a sucursal do “Diario de Noticias”, no Rossio, e desde 1 de Fevereiro de 1920, tinha estado instalada na “Tabacaria Neves”, na esquina praça D. Pedro IV (Rossio) com a Calçada do Duque.

“Tabacaria Neves”

 

Com o arquitecto Luís Cristino da Silva, colaboraram: António Cristino, com as maquetes de gráficos e fotomontagem; Horácio Novais, com as suas magníficas fotografias, e Francisco Duarte, que executou estes trabalhos. A gerência da loja ficou entregue a Carlos Neves, funcionário do “Diario de Noticias”.

Estabelecimento comercial (camisaria) antes de ser substituído pela sucursal do “Diario de Noticias”. Foto durante a audição do relato do jogo de futebol Portugal-França (2-0) em 23 de Fevereiro de 1930

Tapumes das obras da Sucursal, com cartazes de Fred Kradolfer do “ETP - Estúdio Técnico de Publicidade

Em 22 de Maio de 1928 era inaugurado o placard luminoso, para visualização pelos transeuntes, de notícias transmitidas pelo “Diário de Notícias”, e colocado no prédio de esquina da Praça D. Pedro IV com a Rua do Ouro - o mesmo onde abriria em 1938 a nova sucursal deste jornal. De referir que, em 12 de Março de 1937, uma chuva de granizo partiu cerca de trezentas lâmpadas deste placard, pelo que o mesmo ficou inoperacional, tendo sido removido e só recolocado, no mesmo local, no início dos anos 60 do século XX.

                          

Placard luminoso entre o último e penúltimo andares do prédio, já no início dos anos 60 dos século XX

 

«Sugestivos motivos artísticos na decoração, no mobiliário. nos quadros de exposição prendem e encantam os olhos dos visitantes, em termos que à utilidade do estabelecimento há a acrescentar o agrado que êle dá.
Ao centro uma foto-montagem publicitária, com motivos alusivos aos espectáculos, às profissões, aos transportes, ao comércio, à indústria e à agricultura dá expressão viva esta legenda eloquente: - «Anunciar no Diario de Noticias é atingir todos os sectores da vida nacional».

 

«Os serviços de expansão e publicidade do Diário de Notícias, inaugurando hoje a nossa sucursal do Rossio, realizam um melhoramento digno de uma grande capital. Dão à mais movimentada das nossas praças, no coração da cidade, um estabelecimento «sui generis», centro de informações e comunicações de tôda a ordem, grande escritório público cujas múltiplas secções facilitam a vida de tôda a gente. Os serviços de publicidade, até aqui feitos na Tabacaria Neves, passam, a partir de hoje, para a nova sucursal, instalada na ampla casa que tem entrada pelo nº 296 da rua do Ouro e pelos nos. 10 e 11 da praça de D. Pedro IV. Mas, tratando-se de uma instalação do primeiro jornal português no local mais frequentado de Lisboa, o Diário de Notícias, sempre devotado ao interêsse geral, cuidou que ela, pela amplitude das suas funções, servisse, principalmente, o público. Estará aberta todos os dias, das 9 horas à meia noite. E, durante êsse tempo, tôda a gente a pode frequentar, utilizando os diversos e importantes serviços que a todos proporciona.
Assim, é estação telégrafo-postal, dotada ele aparelhos de transmissão automática ele telegramas, e onde se vendem estampilhas e se recebe correspondência; central telefónica. onde se podem estabelecer comunicações com as linhas inter-urbanas, nacionais e internacionais; livraria, fornecida de obras de todo o género, nacionais e estrangeiras; perfumaria, de que é depositária a Eva, com todos os artigos de «toilette» feminina; casa de figurinos e debuxos, também secção confiada aos cuidados da Eva; «bureau» de turismo, com quadros onde podem consultar-se horários de aviões, combóios. vapores e camionetas e indicações úteis sôbre museus, monumentos. teatros e cinemas; centro de informações, onde se diz ao público tudo o que o público precisa de saber; fotografia, onde se tomam encomendas, se revelam e executam todos os trabalhos da especialidade, com uma exposição permanente de fotografias de amadores e reportagens dos grandes acontecimentos dos desportos e da vida de sociedade; e centro publicitário, onde se recebem anúncios e tratam todos os assuntos relativos ao Diário de Notícias, Eva, Os Sports e Notícias Agrícola.»
citações in: “O Diário de Notícias da sua Fundação às suas Bodas de Diamante” 1º Volume - 1939 - Edição Diário de Notícias

Recibo de anúncio colocado no Rossio

Até à inauguração desta nova sucursal outras, em Lisboa, já tinham sido abertas:

2 de Junho de 1916 - Calçada do Marquês de Abrantes esquina com Av. das Cortes (futura Av. Presidente Wilson), 33 a 41
1 de Fevereiro de 1920 - Na “Tabacaria Neves” na esquina do Rossio com a Calçada do Duque.
21 de Julho de 1922  - Avenida Casal Ribeiro, 27 e 29
30 de Março de 1927 - Largo Trindade Coelho
30 de Junho de 1928 - Na “Havaneza do Calvário”, de Marceano Lourenço, no Largo do Calvário, 20 em Alcântara
Data ? - Largo do Chiado (Rua Garrett)

Sucursal do Largo do Chiado, e maqueta fotográfica do projecto de alteração do arquitecto Francisco Conceição Silva

 

Na foto anterior, da esquerda, a sucursal do “Diario de Noticias”, inicialmente, aproveitaria o alpendre e a fachada deixados pela sua antecessora “A Garrett” , como atesta o seguinte anúncio publicitário datado de 1936.

Depois de remodelada pelo projecto em 1955 do arquitecto Fernando Conceição Silva, em fotos de 1970

 

Em 4 de Maio de 1927, tinha aberto a sua delegação/sucursal no Porto, no 1º andar do edifício da filial da Companhia de Seguros "A Nacional", que tinha sido inaugurado na Avenida dos Aliados, em 1924.

“Diario de Noticias” no 1º andar da filial da Companhia de Seguros "A Nacional", na Avenida dos Aliados, no Porto

 

Em 24 de Abril de 1940, e para encerramento das comemorações das “Bodas de Diamante” do “Diario de Noticias”, fundado em 29 de Dezembro de 1864, seria inaugurado o seu novo edifício na Avenida da Liberdade, em Lisboa, e projectado pelo arquitecto Porfírio Pardal Monteiro (1897-1957). Acerca deste edifício e da história deste jornal consultar neste blog o seguinte link: “Edifício do Diario de Noticias”.

Entretanto a Sucursal do “Diario de Noticias” no Rossio, já depois do ano 2000, passa a a livraria “Oficina do Livro” (fundada em 1999), que depois de ser ter integrada, a partir de 2008, no grupo “Leya” mudaria para actual designação “Leya no Rossio”.

Desde há poucos anos é a … “Feira dos Tecidos” … fica a foto.

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian (Estúdio Mário Novais), Hemeroteca Municipal de LisboaArquivo Municipal de Lisboa, Ruas de Lisboa com Alguma História

3 comentários:

Anónimo disse...

E desde há poucos anos, é a "Feira dos Tecidos"!
Não há nada que aguente nesta terra... começa na qualidade e termina na chinela. Já o magnífico edifício do Pardal Monteiro vai passar a outra coisa.
Fica este blog para não se perder a memória.
Gonçalo

José Leite disse...

Caro Gonçalo

Essa da "Feira dos Tecidos" não sabia ... Um dia deste é loja chineza ou de telemóveis ...

Cumprimentos

Pedro disse...

Não há dia que não espreite o seu blog e ao ver fotos como estas, percebemos que daqui até ficarmos como Detroit, vai apenas um pulinho.
Ninguém pára o "progresso".