6 de março de 2012

Victoria Hotel

Em 1934 a empresa “Freire e Matos, Lda.” pedem autorização para construir no seu terreno um edifício de seis pisos, destinado a hotel, em substituição de um outro já aprovado para aluguer de apartamentos, segundo projecto do arquitecto Cassiano Viriato Branco Iniciada a construção em 1934, o “Victoria Hotel”  situado na Avenida da Liberdade, em Lisboa, era inaugurado a 1 de Julho de 1936. A fachada de aproximadamente 16,50 metros, permitia um apartamento por piso, solução que facilitou a reconversão em unidade hoteleira com grande facilidade e rapidez.

Victoria Hotel

Os “Grandes Armazéns Nascimento” da cidade do Porto, foram os fornecedores de todo o mobiliário e decoração das suas salas de estar, jantar e dos seus setenta e cinco quartos, com salas de banho e telefone. A gerência e direcção do hotel tinham estreitas ligações ao “Grande Hotel do Porto”.

Como se poderá ver no desenho abaixo, só foi construído uma parte do edifício originalmente projectado por Cassiano Branco, tendo ficado o terreno que lhe era destinado, entre o “Victoria Hotel” e o “Liz Hotel” vazio por décadas, o que se poderá observar na foto abaixo. Em 1941 a “Victoria Hotel, S.A.R.L.”, deseja ampliar as actuais instalações, ocupando o terreno anexo. Em 1947 é apresentado um anteprojecto para a ampliação do hotel. Em 1949 é apresentado um novo estudo para o projecto de ampliação, que prevê uma nova ampliação do hotel no local onde se encontrava o Hotel Lize finalmente em 1954 é apresentado novo projecto de ampliação de R. Lima.

Emblema e ante - projecto de ampliação do hotel

   

Anúncio da inauguração do Victora Hotel

Juntamente com o Teatro Éden, também de Cassiano Branco esta obra poderá ser considerada uma das mais emblemáticas e originais da arquitectura portuguesa da época. De planta rectangular, este edifício de seis pisos, cave e composto por dois corpos totalmente revestidos a mármore, destaca-se pelos alçados rasgados por cinco janelas de vão rectangular em cada um dos pisos, com mainel em forma cilíndrica, cujas varandas possuem frisos metálicos.

Victoria Hotel e o Liz Hotel junto ao Cinema Tivoli, à esquerda na foto

                                       Salão de Jantar                                                                      Sala de Estar

 

Quarto

Durante a II Guerra, Lisboa e a Costa do Estoril tornaram-se lugares-chave para a acção dos serviços secretos. A intensa actividade dos serviços secretos levou os americanos a difundirem em 1943 um documento sobre os hotéis considerados "seguros" para os Aliados: o Aviz Hotel, o Palácio Hotel no Estoril, o Hotel Metrópole ou o Hotel Europa, ambos em Lisboa. Os hotéis pró-Eixo eram o Avenida Palace, o Hotel Suíço, o Hotel Tivoli e o Victoria Hotel (considerado o mais perigoso de todos pelos americanos). E no Monte Estoril o Hotel Atlântico era também afecto aos alemães, propriedade de um alemão podia ser vista regularmente a bandeira nazi hasteada no seu telhado.                                                                  

                                                         Anúncios de 1944 …                                              … e de 1950

 

Em 1974 a “SINIA - Sociedade Geral de Investimentos para o Comércio e Indústria, SARL”, é a proprietária do edifício encontrando-se este em estado de abandono. Em 1975 esta empresa apresenta um anteprojecto para uma nova reintegração arquitectónica do “Victoria Hotel”. Mas em 1985 a propriedade do imóvel era já da Direcção da Organização Regional de Lisboa (DORL) do Partido Comunista Português, sendo hoje apelidado de “Centro de Trabalho Vitória”.

Campanha para angariação de fundos para a compra do edifício do antigo “Victoria Hotel”

fotos in: Fundacion Docomomo Ibérico, Hemeroteca Digital, Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

2 comentários:

José Igreja disse...

Falta falar na excelente recuperação feita no edificio há alguns anos.

José Leite disse...

Caro José Igreja

Grato pela sua ajuda. Fica a informação

Cumprimentos
J. Leite