25 de outubro de 2010

Sociedade Geral - S.G.

A “Sociedade Geral de Comércio Indústria e Transportes, Lda.” foi fundada pelo grupo CUF em 15 de Julho de 1919.

Entre outras actividades desta “holding”, que ia desde a banca, TAP, Lisnave, Soponata, etc destacou-se no sector de transportes marítimos. Este sector manteve a sua actividade até 1972, altura em que foi vendido à Companhia Nacional de Navegação (CNN), também do grupo CUF. Nos meios marítimos ficou apenas conhecida pela designação de “Sociedade Geral -S.G.”  e mantinha  as ligações entre o Norte da Europa, Portugal e as ex-colónias, para o  transporte de matérias primas necessárias e de produtos saídos das unidades fabris da CUF.

                       Publicidade à Sociedade Geral                                      Frota da Sociedade Geral em 1952

          

Foi das mais importantes empresas de navegação de Portugal tendo possuído 57 navios até 1972, além da sua frota de rebocadores. O primeiro navio foi construído na Alemanha, em 1899, chamando-se "Werner Kuntsmann", e fora comprado em 1912 pela Empresa de Serviço Costeiro, Lda., de Lisboa, que o rebaptizara de "Lisboa", nome que foi mantido pela CUF quando o adquiriu em 1916. Este navio foi posteriormente desmantelado em 1928, no Barreiro, e a sua máquina a vapor foi aproveitada para propulsionar o rebocador "Estoril", construido em 1932 para a SG, no estaleiro da CUF,no Barreiro (fotos seguintes)

                            O Vapor “Lisboa” em 1916                                              O rebocador “Estoril” em 1932

         

Em 1933, pela primeira vez, integrou a frota, um vapor não adquirido em segunda mão, antes acabado de construir no estaleiro da CUF, no Barreiro, ao qual foi dado o nome de "Costeiro Segundo"

                          Navio a vapor “Costeiro” de 1922                                  Navio a vapor “Alferrarede” de 1927

         

De 1948 a 1955, a frota da Sociedade Geral foi aumentada com vinte navios novos: dez grandes cargueiros, os seis "A's", "Alcobaça", "Alenquer", "Almeirim", "Arraiolos", "Ambrizete" e "Andulo"e os quatro "B's", "Belas", "Borba", "Braga" e "Bragança", construídos por encomenda da SG a estaleiros britânicos; os quatro "C's", cargueiros mais pequenos, de construção canadiana, "Cartaxo", "Colares", "Coruche" e Covilhã"; os cargueiros gémeos "António Carlos" e "Conceição Maria", e os quatro navios de passageiros "Alfredo da Silva", "Ana Mafalda", "Rita Maria" e "Manuel Alfredo", todos os seis construídos em Lisboa, no estaleiro da CUF, na Rocha Conde de Óbidos.

                                                                            Navio “Alcobaça” de 1947                                                    

                                         

                                                                                 Navio “Belas” de 1948

                                 

                              Navio “Colares” de 1948                            Navio “Alfredo da Silva” de (1949 -1973): 88 passageiros

        

                                             Navio “Rita Maria”  (1952-1978) - Lotação de passageiros: 70

                     

Os últimos navios adquiridos pela S.G. foram adquiridos em 1971, dois navios de carga noruegueses, gémeos, que tinham sido construídos na Alemanha e que na SG receberam os nomes de"Cabo Bojador" e "Cabo Verde".

Outros 2 rebocadores a vapor da Sociedade Geral

                            Rebocador “Cintra” de 1919                                         Rebocador “São Cristovão” de 1924

        

         Fotos in: Navios e Navegadores

Maior paquete de passageiros da Sociedade Geral , foi o “Amélia de Mello”, que navegara cerca de dez anos com a bandeira de Israel e com o nome "Zion" (3),  de 1956 que transportava 323 passageiros.

                                                                              Navio “Amélia de Melo”

      

         foto in: Revista da Marinha

Um paquete gémeo do "Zion", chamado "Israel", foi adquirido pela Empresa Insulana de Navegação que o renomeou "Angra do Heroísmo"

Em 1972 a “Sociedade Geral - S.G.” foi adquirida pela Companhia Nacional de Navegação (CNN) também do grupo CUF. Em consequência os navios da SG foram integrados na CNN, passando a usar as cores desta companhia. A Companhia Nacional de Navegação (1918-1985), teve a sua origem na Empresa Nacional de Navegação, e em cujos navios se fez a maior parte do transporte dos contingentes militares, material, funcionários do Estado e portugueses que iam para os antigos territórios portugueses em África.

A 3 de Maio 1985, e após várias tentativas de reestruturação, a CNN foi extinta, em 4 de Fevereiro de 1974, em simultâneo com a Companhia Portuguesa de Transportes Marítimos (CTM), esta última resultado da fusão da Companhia Colonial de Navegação (CCN), fundada em 3 de Julho de 1922, e da Companhia Insulana de Navegação, fundada em 13 de Dezembro de 1871.

2 comentários:

Rato da Rocha disse...

https://lh4.googleusercontent.com/-INI8Ty1uQrw/USgzplR_iuI/AAAAAAAAA7Q/S9t2AQYUVkM/w807-h519-no/Scan_Pic0061.jpg

O n/m "ALCOBAÇA" em Março de 1967 amarrado na rada da Horta, Fayal Is.

José Leite disse...

Muito grato pela foto

Os meus cumprimentos

José Leite