Restos de Colecção: Circo Torralvo e Circo José Torralvo

5 de setembro de 2020

Circo Torralvo e Circo José Torralvo

O "Circo José Torralvo" foi fundado por José Torralvo que "nasceu" neste meio, no já extinto "Circo Torralvo" do seu pai Reinaldo Torralvo. A família Torralvo tem-se mantido na actividade circense por várias gerações. 






Pode-se ler no site do "Circo José Torralvo":

«Com muita experiência e a contar com várias gerações de familiares a actuar neste meio, José Torralvo pretende com os seus espectáculos para além do tradicional circo, levar a todas as pessoas, sempre algo inovador e interactivo. 



Todos os anos renova o alinhamento dos seus espectáculos  de modo a que possa proporcionar a todos os seus espectadores, novas sensações e oportunidades de lazer únicas.

Um dos maiores e melhores Circos da actualidade em que nos seus espectáculos é também uma constante uma forte interligação e interacção com o público.


Para se deslocar, o Circo José Torralvo necessita de 10 camiões TIR.

 

José Torralvo foi considerado pela critica, o  jovem revelação dos últimos anos nas artes circenses. » 




Fotos de outros três circos "colegas" do extinto "Circo Torralvo" em fotos da mesma época (anos 60 do século XX) ...


"Circo Mariano" em fase de montagem junto à "Praça de Touros de Algés"


"Circo Irmãos Gonsalves" no Bairro de Alvalade em Lisboa


"Circo Texas" na "Feira de São João", em Évora em 1968


E folhetos publicitários a outros dois


1 comentário:

JF disse...

É uma pena que o Circo em Portugal e as famílias/companhias circenses Portuguesas, não sejam capazes de se unir e fazer valer a sua arte.

O Circo neste país caiu em decadência e a mediocridade do conteúdo dos espectáculos é atroz, facto esse que se começou a notar a partir do Século XXI.

As Companhias Circenses Portuguesas devem exigir do Estado os apoio necessários à arte e actividade cultural que desempenham, mas também podem e devem apresentar (dentro das suas possibilidades) espectáculos com um conteúdo que faça jus há história e tradição do Circo ao mesmo tempo que inovam, mas sempre num sentido de bom gosto, genuinidade e aperfeiçoamento.

Gostaria de um dia ver espectáculos de Circo em Portugal com a beleza, destreza, profissionalismo, e magia igual aqueles que os meus pais assistiram na sua infância e recordam ainda hoje com saudade, assim como recordo eu com alegria, os espectáculos que assisti na minha meninice onde levado pelo meu pai e a minha mãe aprendi a gostar da Arte Circense e a admirar as gentes do Circo.

Quando olhamos para países como a Rússia, China, Alemanha, Itália, ou o principado do Mónaco, vemos claramente que Portugal é um país de terceiro mundo e ignorante no que toca ao entendimento e valorização do Circo, da sua História, e expressão artística.

P.S.: Já é tempo do Circo em Portugal se levantar e fazer valer os meios jurídicos e de cidadania, a nível Nacional e Europeu, para permitir que os animais e os Circos Portugueses possam novamente conviver e trabalhar conforme sempre fizeram.