29 de maio de 2018

Café Lisboa

O primeiro "Café Lisboa", abriu as suas portas na esquina da Avenida da Liberdade com a Travessa do Salitre, em 1936. Desde esse ano teve diversos proprietários mas manteve sempre a mesma clientela, Fadistas, artistas de teatro ligeiro e declamado, músicos da noite lisboeta, boémios e artistas do vizinho "Parque Mayer".

Primeiro “Café Lisboa” com entradas pelas Avenida da Liberdade e Travessa do Salitre, em foto de 1937

Este primeiro “Café Lisboa” veio ocupar o que restava das instalações da firma de leilõesCasa Liquidadora”. Esta firma tinha cedido, outra loja no mesmo edifício, - outrora ocupada pelo “Grande Casino de Paris” - com entrada e frente para a Avenida da Liberdade, à famosa casa de fados Café Luso”, inaugurada em 1927.

Instalações da “Casa Liquidadora

1910

Este primeiro "Café Lisboa" encerraria definitivamente em 25 de Junho de 1968, dia que se mudaria para o outro lado da Avenida da Liberdade, para o edifício nº 125 e propriedade do Conde de Caria. Nesta altura era seu proprietário José António Arsénio. A renda das novas instalações passaria a ser «de cerca de 20 contos, três vezes mais do que era a antiga.»

No dia da mudança o jornal “Diario de Lisbôa” relatava a mudança nos seguintes termos:

«Às 14 e 55, José António Arsénio, actual proprietário do café lançou raivosamente três cargas de bombas de Santo António para os cantos já devolutos. Foi o sinal. Os últimos a sentarem-se àquelas mesas de pedra, nas pesadas cadeiras, levantaram-se silenciosamente e seguraram em suas mãos o mobiliário a mudar. Saíram. Atravessaram a a Avenida. Depositaram cadeiras e mesas na nova sede do 'Café Lisboa'. O antigo 'Tio Sam', do outro lado da Avenida da Liberdade. O 'Tio Sam' recebeu o 'Café Lisboa'. Foi uma mudança simplesmente. O velho e tradicional café não emigrou.»

A substituir as antigas instalações do “Café Lisboa”, uma agência bancária. Nessa altura, chegou-se a falar na venda e demolição do respectivo edifício mas tal não se veio a verificar.

Novo “Café Lisboa”, no lado oriental da Avenida da Liberdade, em 1968

1970

Actualmente, o “Edifício Café Lisboa” depois de recuperado e aumentado um piso (de gosto duvidoso) pelos arquitectos Nuno Teotónio Pereira e Mário Costa e Crespo, entre 1993 e 1995, é hoje propriedade da “Revilla Internacional”. Como edifício de escritórios tem como  seus inquilinos, “Cushman & Wakefield”, “AIG”, “Novo Banco Privée” e o “Wizink Bank” ex- “Banco Popular-E”. Na loja outrora ocupada pelo “Café Lisboa” entre 1936 e 1968, hoje a loja de pronta-a-vestir masculino “Ermenegildo Zegna”.

Foto via “Google Maps”

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian (Estúdio Mário Novais), Arquivo Municipal de Lisboa, Hemeroteca Municipal de Lisboa

Sem comentários: