16 de julho de 2012

Sociedade Lusitana de Destilação

A "Sociedade Lusitana de Destilação", da firma "E.Fonseca & Ca.", foi fundada em 1938 com fábrica em Casal do Bernardino, freguesia de Riachos no concelho de Torres Novas, distrito de Santarém, e sede na Rua Victorino Damásio em Lisboa. Possuía também um centro de distribuição e escritórios na Rua das Carmelitas, na cidade do Porto.

Maqueta do complexo da “Sociedade Lusitana de Destilação”

Imagens de exteriores e interiores do complexo, em fotos entre 1946 e 1948

      

Começou por se dedicar à produção de álcool industrial rectificado, desnaturado e óleo de Fusel, destinado-se a sua produção à indústria farmacêutica, hospitalar, de perfumes, de licores e a laboratórios químicos. Actualmente é o maior fornecedor de aguardente vínica para o sector do Vinho do Porto.

O álcool pode extrair-se do vinho por destilação (álcool vínico ou espírito do vinho) ou de qualquer substância fermentada. Há outros álcoois que se extraem da aguardente do bagaço (álcool propílico) ou da beterraba (álcool butílico). A destilação de bebidas alcoólicas remonta à Antiguidade. A bebida é feita pela condensação dos vapores de álcool que escapam mediante o aquecimento de um mosto fermentado. Como o ponto de ebulição do álcool é menor que o da água presente no mosto, o álcool evapora, dando-se assim a separação da água e o álcool. O vapor que escapa da mistura aquecida é capturado por uma serpentina refrigerada que o devolve ao estado líquido.

                                                           Processo simplificado da destilação do álcool

                                 

No esquema anterior:

  • Flegma: Produto principal de destilação mistura hidroalcoólica impura, com graduação alcoólica entre 45 a 50°GL.
  • Flemaça: Resíduo aquoso da rectificação do flegma isento de álcool. Graus GL (°°GL): Percentagem de álcool, em volume.
  • Rectificação: Operação de purificação e concentração do flegma.
  • Vinhaça: Resíduo aquoso da destilação, que contém todas as substâncias não voláteis e algumas voláteis do vinho.

                                                                     Colunas de Destilação e Rectificação

        

                                     Controle de saída das diversas qualidades do álcool industrial e vista exterior

        

Em 6 de Setembro de 1960 verificou-se um Incêndio na fábrica da “Sociedade Lusitana de Destilação, Lda.”, provocado pelo rebentamento de uma gambiarra no interior de um dos depósitos. Não houve perda de vidas. Em 27 de Julho de 2004 novo acidente, mas desta vez com consequências mais dramáticas: três trabalhadores morreram intoxicados por gás quando procediam à limpeza de um dos depósitos subterrâneos de borras de vinho.

                                           Laboratório                                                                          Escritório

          

                                                                                            1960

                                                       

No final dos anos 80 do século XX era a maior organização industrial do género em Portugal com 43 empregados, a par da "Subvidouro - Centro de Aproveitamento de Subprodutos da Vinificação da Região Demarcada do Douro CRL", Foi uma empresa de aproveitamento de subprodutos vínicos, como borras e bagaços, e destilação de vinhos para aguardentes, criada nos anos 80 por várias cooperativas da região duriense, mas funcionando inicialmente sob a tutela da Casa do Douro. Hoje, tem como accionistas as adegas da Região Demarcada do Douro .Com sede em Folgosa do Douro, concelho de Armamar no distrito de Viseu, e empregando 47 funcionários, encontra-se actualmente em processo de insolvência.

                                                                  Depósitos e cubas de produto destilado

        

                                               Stand na Feira das Industrias Portuguesas de 1950 em Belém

                                 

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

Para se ter uma ideia da dimensão da "Sociedade Lusitana de Destilação, S.A." , em 2008 facturou 18.140.967 €. Nos últimos anos tem-se debatido com problemas de poluição ambiental que tem levado a manifestações populares de protesto. De referir que possui, desde 1997 uma Central de Cogeração, a "Companhia Térmica Lusitana, ACE".

                       "Sociedade Lusitana de Destilação, S.A." actualmente, à esquerda do Alfa Pendular da CP

                                       

Sem comentários: