29 de abril de 2013

Autosil

A identificação do fundador António Acácio da Silva com a sua empresa está bem patente no nome da própria empresa registada em 1925 - A. A. Silva - e na marca comercial “Autosil” . A marca foi resultado da composição dos termos Auto de automóveis, como actividade central dos negócios, e Sil de Silva.

                                                                                           1944

                                            

Mais tarde, em 1934, esta firma concentra a sua actividade na importação de equipamento automóvel de origem francesa  - marcas “Cibié”, “Klaxon”, “Bendix”, “Jaeger” e “Paris-Rhone” - e nas baterias “Gould” (USA) e em 1937 é nomeada representante dos automóveis “Hotchkiss”.  Lembro que esta marca de automóveis era até então, e desde 1931, representada pela empresa “SETER – Societé d’Etudes Techinques et Representations, Lda.” através daAuto-Palace”, em Lisboa.
 
Entretanto em, devido ao eclodir da 2ª Guerra Mundial, as actividades principais da empresa são interrompidas, e são produzidas as primeiras baterias com a marca “Autosil”.

                                   

Com o fim da guerra, em 1945, a “A. A. Silva” retoma o conjunto das actividades que passa a incluir a representação dos camiões “Berliet”, que constituíram uma contribuição valiosa para o desenvolvimento da empresa, verificando-se o aumento da produção de baterias.

Em 1950, é construida em Paco d'Arcos uma unidade de produção de baterias num terreno com uma área de 80.000 m2. Três anos mais tarde, em 1953, tem inicío o fabrico de pilhas secas de zinco-carbono que chegou a assumir uma dimensão significativa na unidade industrial de Paço d'Arcos.

                                                                       Instalações em Paço d’Arcos

 

 

 
 
No ano seguinte, em 1954, têm lugar os primeiros fornecimentos de baterias para equipamento das principais marcas de automóveis montados em Portugal: “Fiat”, “Ford”, “GM”, “Renault”, “Peugeot”, etc.
 
Em 1964 a empresa individual “A. A. SILVA” dá lugar à criação de duas sociedades anónimas. Uma delas de seu nome “Acumuladores Autosil S.A.R.L.”.

                                                             Loja na Av. 24 de Julho, em Lisboa em 1969

                                     

Em 1973 tem início a produção de baterias em caixa de polipropileno, e em 1978 são lançadas as primeiras baterias de manutenção reduzida e sem manutenção. Em 1979 tem inicio a exportação de baterias para equipamento de origem das marcas “Renault” e “Citröen” em França.

                                                                    Assistência num camião “Volvo”

                                      

                                             Fornecimento de energia “Autosil” a um adepto mais exigente …

                                      
 
Em 1980 é abandonado o fabrico de pilhas secas uma vez que concorrência internacional inviabilizava a sobrevivência de pequenas e médias fábricas desse tipo de produtos. Por outro lado, a produção de baterias de arranque, graças aos avultados investimentos em equipamento de produção e automação, não cessava de aumentar e a exportação representava, nessa altura, cerca de 60% da actividade da “Autosil”. Por consequência, em 1989 e 1990 são criadas as filiais comerciais em Espanha e França.

Depois da homologação das baterias “Autosil”, em 1991, para fornecimento exclusivo da AutoEuropa em Palmela, dão-se início em 1992 aos investimentos industriais em França com construção de uma nova fábrica, e em 1994 a “Autosil” adquire a CFEC, segundo maior fabricante francês de baterias, ao Grupo Fiat. Ascende, assim, ao quarto lugar entre os maiores fabricantes europeus, com uma quota de mercado na Europa superior a 7%.

                                            1950                                                                                 1984

      

Em 2002 e após as dificuldades financeiras que afectaram toda a indústria e que levaram ao encerramento das actividades industriais em França, a empresa “A. A. Silva” reassume a actividade indústrial e comercial da “Autosil” após ter procedido a um investimento de 30 milhões de euros. No ano seguinte ao mesmo tempo que é reforçada a actividade comercial, com ênfase na distribuição e serviço após-venda em Portugal e Espanha centrada nas baterias de arranque, promove-se o alargamento da oferta de baterias industriais, estacionárias e de tracção, sustentada em parcerias com alguns dos principais fabricantes mundiais.

 
                                                


Através de uma rigorosa selecção de parcerias, no ano de 2004, incrementaram-se as actividade de sub-contratação tendo em vista salvaguardar a competitividade e diversidade da oferta, tanto nas baterias de arranque como nas industriais, mantendo os elevados padrões de actualização tecnológica e qualidade que caracterizaram a história da “Autosil”.
 
Em 2007, são realizados na “Autosil” os primeiros testes de baterias construídas com células de ião de Lítio (Li-ion) de capacidade adequada a aplicações industriais e tracção eléctrica. Em 2009 é concluído o projecto de conversão eléctrica com baterias de lítio (ião-Li) do “Smart I Win!” e são realizados os primeiros ensaios de estrada e apresentações ao público. Este veículo eléctrico, desenvolvido e realizado na “Autosil”, constitui uma primeira plataforma de teste para baterias avançadas.

                                                                                        “Smart I Win!”

                                                     

Presentemente a “Acumuladores Autosil, SA”, com sede na Estrada de Paço d’Arcos, tem lojas em Lisboa, Trajouce (S. Domingos de Rana), Almada, Venda Nova, Porto e Viseu.

Texto baseado na informação retirada do site oficial da Autosil.

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian, Autosil, A Defesa de Faro, Rodas de Viriato

Sem comentários: