23 de janeiro de 2012

Laboratório Nacional de Engenharia Civil

O reconhecimento da necessidade da escolha dos materiais de construção com base numa caracterização prévia é muito antigo estando por fazer a história do seu ensaio em Portugal. A primeira menção formal que se conhece da conveniência de se fazerem estudos metódicos dos materiais de construção data da publicação, em 1844, do livro "Guia do Engenheiro na Construção das Pontes de Pedra" do engenheiro militar Luiz da Silva Mouzinho de Albuquerque.

LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil, na Avenida do Brasil

Em 1866 o Ministro das Obras Públicas João de Andrade Corvo criou uma comissão para «definir as qualidades e determinar as resistências dos materiais que comummente se empregam nas construções civis». Na sequência das recomendações desta Comissão foram rapidamente adquiridos equipamentos de ensaio em França e logo em 1867 instalado um primeiro laboratório de ensaios no Instituto Industrial.

O laboratório ao qual o Departamento de Materiais do LNEC pode remontar a sua origem foi, no entanto, criado em 1886 por iniciativa do Director das Obras do Porto de Lisboa . Chamava-se então “Secção de Estudos de Resistência de Materiais” e estava instalado no Palácio do Conde de Óbidos. Era chefiado pelo engenheiro João Castanheira das Neves e o equipamento incluía máquinas Adie e Michel de ensaio de argamassas, uma prensa francesa A. Clair e um pequeno laboratório de Química.

Palácio Conde d’Óbidos

Com a reorganização, em 1898, do Ministério das Obras Públicas, Comércio e Indústria foi criada a “Direcção dos Estudos e Ensaios de Materiais de Construção” (mais tarde Laboratório de Ensaio e Estudo de Materiais), tendo o engenheiro Castanheira das Neves sido nomeado para o dirigir. Em 1899 o laboratório foi transferido para o então chamado "Edifício da Bolsa Agrícola" (hoje conhecido como Edifício da Alfândega, na Av. Infante D.Henrique, perto da Casa dos Bicos).

Edifício da Bolsa Agrícola (Edifício da Alfândega)

O “LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil”, foi criado em 19 de Novembro de 1946 a partir do “Laboratório de Ensaio e Estudo de Materiais” do Ministério das Obras Públicas e do Centro de Estudos de Engenharia Civil, sediado no Instituto Superior Técnico. Esta dupla vertente, investigação e experimentação, iria enformar decisivamente o futuro desenvolvimento do LNEC.

Esquema dos vários departamentos espalhados por Lisboa

Em 1947 a Câmara Municipal de Lisboa cede terreno, na Avenida do Brasil, para a construção do LNEC, e nomeia o engenheiro Eduardo Arantes e Oliveira, como primeiro director deste Instituto, e em 1948 é firmado o contrato com Porfírio Pardal Monteiro para a elaboração do projecto. São iniciadas as sondagens geológicas para estudo das fundações para o edifício a construir para o laboratório, pela Delegação das Novas Instalações para os Serviços Públicos e no ano seguinte o projecto é aprovado, conclusão das sondagens e inicio da execução do projecto do laboratório.

Em Agosto de 1950 é adjudicada da empreitada de construção à empresa Ruy Miller, Lda, pelo que a 18 Dezembro do mesmo ano dão-se início aos trabalhos de construção, passando, dias depois, a empreitada da obra para Artur Fernandes Alves Ribeiro

1955

20 de Novembro de 1952 tem lugar a  inauguração oficial e em Dezembro é concluído o edifício principal. Só em 1954 o projecto dos espaços exteriores pelos arquitectos paisagistas Fernão Vaz Pinto e Gonçalo Ribeiro Telles é aprovado. neste mesmo ano é nomeado o engenheiro Manuel Rocha para novo director do LNEC substituindo o engenheiro Arantes e Oliveira. Neste mesmo ano é aberto concurso para investigadores.

LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil, na Avenida do Brasil

                                Outros edifícios do LNEC                                             Sala de recepção a visitantes       

  

Em 1957 é instalado um computador electromecânico no LNEC, e em 1958 é instalado o primeiro computador electrónico em Portugal, um “Stantec Zebra” de 1ª geração.

                              Computador electromecânico                                          Computador “Stantec Zebra”

 

Em 1959 é inaugurado o Centro de Convívio para os funcionários do LNEC, e em 27 de Julho de 1961 o decreto-lei 43825 aprova a Lei Orgânica que atribui ao LNEC autonomia administrativa e financeira.

Centro de convívio

 

                                                Bar                                                                                Cantina

                         

                           Biblioteca da sala do pessoal                                                Sala dos serviços sociais

 

Em 1961 é oferecido ao LNEC pela “Fundação Calouste Gulbenkian” o projecto do edifício destinado a instalar um Museu; prosseguiu de acordo com as previsões a construção do edifício, pelo que foi concluído e inaugurado em 1962.

Edifício do “Instituto Calouste Gulbenkian”            

Arquitectos e engenheiro envolvidos desde o início na construção e desenvolvimento do complexo do “LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil” :

Edifício principal: Porfírio Pardal Monteiro (arquitecto 1897-1957), António Pardal Monteiro e Pedro Pardal Monteiro (eng. civil); Edifício de Barragens, Geotécnica e Mecânica das Rochas e Edifício do Centro de Convívio: Januário Godinho (arq.) e João João Henrique de Mello Breyner Andresen (arq.); Edifício da Biblioteca, Reunião, Documentação e Informática: Norberto Corrêa (arq.) e J. Pinto Coelho; Arquitectos Paisagistas: Fernão Vaz Pinto (1954) e Gonçalo Ribeiro Telles (1954 e 1965-1966).

 

 

 

Em  1970 é elaborado o projecto do edifício da Biblioteca, Reunião, Documentação e Informática, o qual viria a ser aberto em 1972 .

                                Centro de Documentação                            Centro de Informática (Computador DEC 10 de 1976)

 

                                Sala de modelos de barragens                                            Sala de modelos físicos

 

                             Laboratório de Estruturas                                          Laboratório de ensaios de materiais

 

«Campus» do LNEC, actualmente

fotos in: Hemeroteca Digital, Arquivo Municipal de Lisboa, LNEC, Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian

1 comentário:

João Menéres disse...

Quando lá estagiei na Secção de Barragens, ainda não havia o Centro de Convívio.
O Director da Secção era o Engº Laginha e o Engº Manuel Rocha era o Director do LNEC, como refere.

Um abraço muito agradecido.