12 de março de 2011

Paquete “África”

O paquete "África" fundeou na baía de Cascais, no dia 19 de Setembro de 1905, depois de ter sido entregue pelos estaleiro inglês 'Sir Raylton Dixon & Co.', de Middlesborough.

Sua Majestade o rei D. Carlos e seu irmão infante D. Afonso subiram a bordo, iniciando a visita com um passeio dando uma volta do Cabo da Roca passando pelo Cabo Espichel e regressando a Cascais.
No dia 20 de Setembro atracou no cais da Fundição, onde recebeu o Ministro da Marinha e numerosos convidados para um almoço a bordo e passeio até à barra.

                                                Paquete “África”

        

Este paquete "África", mandado construir pela Empresa Nacional de Navegação, ao estaleiro inglês ‘Sir Raylton Dixon & Co.’, de Middlesborough, deslocava 5.491 toneladas, com 127,52 metros de comprimento. estava equipado com 2 máquinas a vapor de tríplice expansão, debitando 4.600 CFI de potência transmitida a 2 hélices, permitindo uma velocidade de cruzeiro de 12 nós.

                        

Este paquete possuía a 1ª classe a meia nau (a meio do navio), a exemplo do que já sucedera com os paquetes da classe 'Rei de Portugal' da Mala Real Portugueza entre 1889 e 1890.

Além de grandes porões para carga, tinha aposentos para 300 passageiros assim distribuídos: 100 passageiros na 1ª classe, 60 na 2ª classe e 140 passageiros em 3ª classe.

A 1ª classe, possuía salão de música, sala de jantar e confortáveis beliches.Os mármores de cores, os espelhos, as madeiras de faia e de espinheiro trabalhadas e polidas, guarneciam tanto a sala de música e das senhoras, como o salão de jantar, sendo ambas ricamente mobiladas. Os beliches eram envernizados a branco e a dourado.
Todas as dependências do navio eram iluminadas a luz eléctrica ... Os primeiros paquetes equipados com luz eléctrica foram o “Ambaca” e “Cazengo”, em 1889, também da ENN.    

                                                             Sala de Jantar e sala de música da 1ª classe         

                       

                                                                              Anúncio de 1912

                                       

                                                                                  Preçário em 1912

                                       

Em 1907, Sua Alteza o Príncipe Real Dom Luis Filipe, embarcou no paquete “África” , numa viagem de estudo às colónias africanas, viagem que durou de 1 de Julho a 28 de Setembro do mesmo ano, sob o comando do Capitão da Marinha Mercante Guilherme Vidal Júnior.

                                          A revista “Ilustração Portuguesa” , noticiava assim a viagem do Príncipe

                      

Fotos in: Hemeroteca Digital

Neste mesmo ano de 1907, a navegação a vapor para África era exclusiva da Empresa Nacional de Navegação.

Em 1906 foi também entregue pelo mesmo estaleiro inglês o paquete irmão” o “Lusitania”, distinguindo-se exteriormente do “África” por ter a chaminé mais alta. Este paquete teve uma existência curta, pois afundou-se em 18 de Abril de 1911, depois de ter encalhado em “Bellows Rock” junto ao Cabo das Agulhas, perto da Cidade do Cabo na África do Sul, quando regressava de Lourenço Marques. Do naufrágio resultaram 4 mortes vítimas de uma baleeira se ter voltado a quando do abandono do navio.

Este naufrágio seguiu-se a um outro do paquete “Lisboa”, também da Empresa Nacional de Navegação, em 23 de Outubro de 1910 (no mesmo ano do seu lançamento à água), após ter embatido num rochedo 60 milhas a norte da Cidade do Cabo. Também por se ter virado uma das baleeiras morreram 3 passageiros e 4 tripulantes. Uma curiosidade: Este paquete foi o último navio a sair o Tejo, em 1 de Outubro de 1910,  hasteando a bandeira da monarquia.

                                           Paquete “Lisboa” com a bandeira da monarquia hasteada na popa

                                         

A ‘Empresa Nacional de Navegação’ , mudaria sua designação, em 1918, para ‘Companhia Nacional de Navegação’.

                                                      1949 CNN

História desta empresa, será alvo do post intitulado: Companhia Nacional de Navegação (CNN)

Para a feitura deste artigo foi consultado também o livro: «Paquetes Portugueses», de Luís Miguel Correia, Edições Inapa, Lisboa, 1992

4 comentários:

A.Teixeira disse...

Em primeiro lugar quero deixar-lhe um voto de incentivo para que continue este seu blogue de que sou um leitor atento e regular.

Em segundo lugar, tenho que lhe assinalar uma correcção: no início do segundo parágrafo deste texto, quando escreve "Sua Majestade o rei D. Carlos e seu filho infante D. Afonso...", certamente estar-se-á a referir ao irmão do rei, também infante. Os filhos de D. Carlos chamavam-se Luís Filipe (refere-o mais adiante) e Manuel.

J.Leite disse...

Caro A. Teixeira

Muito agradeço a sua correcção. Certamente foi no elaborar do texto que me confundi.
Peço desculpa não ter procedido à correcção há mais tempo, mas só hoje li a sua mensagem.
Agradeço tambem as suas regulares visitas e amáveis palavras

Cumprimentos
J.Leite

Anónimo disse...

Foi com muito interesse que visitei o blogue quando procurava informação sobre o paquete português LUSITÂNIA na sequência de ter recebido um postal ilustrado com este paquete numa imagem (a cores)igual à que consta no blogue. Agradeço se tiver informações detalhadas sobre este paquete LUSITÂNIA à semelhança do paquete ÁFRICA.

Votos para que continue este blogue.

António Abreu, Oeiras antabreu@yahoo.com

José Leite disse...

Caro António Abreu

Grato pelo seu comentário.

Enviei-lhe um e-mail com a resposta à sua solicitação

Os meus cumprimentos

José Leite