10 de Julho de 2013

Fábrica Portugal

Não se sabe ao certo o ano de fundação da “Fábrica Portugal”, mas certamente antes de 1890. Um inquérito em 1890, registava uma força laboral de 98 trabalhadores. Inicialmente com fábrica no Regueirão dos Anjos, em Lisboa, e depósito e salão de exposição na Praça dos Restauradores, esta empresa é apontada como percursora da produção em série em Portugal. Em 1897 era propriedade de Fernando da Silva Almeida, em 1913 era propriedade da firma “J. M. Castanheira d’Almeida”, e em 1924 da “H.Missa, Lda.” .      

1897

                                                   1913                                                                                      1924

          

As maiores empresas metalomecânicas. na lista de 1917, localizavam-se nas duas principais cidades do país: três em Lisboa - “Empresa Industrial Portuguesa”, “Carlos Alfredo Silva, Lda.” ,mais conhecida por “Vulcano & Collares”, e “Fábrica Portugal” - e uma no Porto, a “Companhia Aliança”.

                                 

Nesta época, as três maiores empresas metalomecânicas mantinham uma grande diversidade de produtos fabricados que já caracterizava a sua actividade no princípio da década de 1880. A “Fábrica Portugal”, mais virada para o consumidor final, dedicava-se ao fabrico mecanizado de mobiliário de ferro, empregando 300 trabalhadores.

No início de 1920 a “Fábrica Portugal” fazia parte do grupo “Companhia União Metalúrgica”, que abrangia a “Fábrica Portugal”, a “Bachelay” e a “Fábrica de Munições”. Foi neste ano que a “Empresa Industrial Portuguesa”, de João Burnay e fundada em 1874, foi integrada neste grupo.

       

                                

       

A fábrica dos fogões da “Fábrica Portugal” esteve instalada até aos anos 40 do século XX, no Bairro de Arroios em Lisboa. Estava limitada pela Rua Frei Francisco Foreiro, Regueirão dos Anjos (onde estava situada a entrada das oficinas - frente do Beco da Maria Luísa) e pela Rua Febo Moniz  onde estavam serviços administrativos e uma loja de venda ao público. Este espaço é hoje ocupado pelo Banco de Portugal. Anos mais tarde, monta uma fábrica no Sabugo, em Pêro Pinheiro, no concelho de Sintra.

 

                            1931                                                          1936                                                        1948

   

Loja na Praça dos Restauradores em Lisboa

                                 Pavilhão da “Lusodex, Lda.” distribuidora da “Fábrica Portugal” na FIP em 1949

                                 

Algumas frases publicitárias acerca dos fogões da “Fábrica Portugal”:

"Cozinhar num fogão a gás da Fábrica Portugal é ter a certeza de um bom êxito!"
"O fogão a gás da Fábrica Portugal coze, assa, grelha...e não suja"
"O fogão a gás da Fábrica Portugal é, de todos, o mais económico"
"Onde um fogão a gás da Fábrica Portugal intervém, o conforto passa a existir a qualquer hora"
"O fogão esmaltado para carvão e lenha da Fábrica Portugal satisfaz cabalmente as exigências da melhor cozinheira"
"São de extremo asseio e economia os fogões para carvão e lenha que a Fábrica Portugal fabrica"
"De fácil limpeza, óptimo funcionamento e máxima economia, são as características dos fogões pretos com guarnições esmaltadas da Fábrica Portugal "

                                 

    

 

                                   

Marcas portuguesas de fogões foram desaparecendo do com o passar dos  anos  como a Leão, Portugal, Produtos Estrela (PE), Siul, Presmalte, etc. Com turcos e brasileiros a tomarem conta do mercado do preço e a imagem pouco atractiva do made in Portugal, não foi nada fácil sobreviver em Portugal neste negócio. «Que o diga Pinto da Costa, muito menos bem-sucedido a vender fogões do que a gerir o FC Porto».

                       

                

A “António Meireles, S.A.” fabricante dos fogões “Meireles”, fundada em 1931, e liderada pela família Meireles, é a única sobrevivente da enclítica geração de fabricantes fogões em Portugal, e com muito sucesso, tendo-se internacionalizado. Em 2010 as exportações já representavam 36 por cento do seu volume de negócios.

Fábrica Portugal  Fábrica Portugal.5

Bibliografia: Foi, também consultada a Dissertação apresentada para a obtenção do grau de Doutor em História Económica e Social, por Pedro José Marto Neves intitulada: “Grandes Empresas Industriais de um país pequeno: Portugal da década de 1880 à 1ª Guerra Mundial” - ISEG, 2007.

Fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian, Santa Nostalgia, Pura Terylene Virgem

Sem comentários: