25 de março de 2013

Aeroporto de Pedras Rubras

O “Aeroporto de Pedras Rubras”, também chamado de “Aeroporto do Porto”, situado em Pedras Rubras na freguesia de Moreira no (Maia), foi  construído durante os primeiros anos 40 do século XX, como aeródromo relvado e concluído como aeroporto em 1945, iniciativa e responsabilidade da Câmara Municipal do Porto em colaboração com o Estado português.

Até então a cidade do Porto era servida, em termos de transportes aéreos, pelo “Campo de Aviação de Espinho” (Campo de Silvalde) inaugurado em 25 de Outubro de 1925. Tratava-se de um campo de aviação militar mas com utilidade civil por ter sido construído com ajuda material da população.

No início de 1938 arrancaram os estudos de engenharia com vista à construção de um aeródromo perto da cidade do Porto. A obra foi aprovada em 1940. Dos cofres do Estado, saíram, na altura, cerca de 1.150 contos para pagar os estudos, os projectos e a compra dos terrenos necessários para a construção.

 

                                                                                          1945

                                 

As obras para construir o aeródromo começaram no início de 1942, com duas pistas relvadas. Três anos mais tarde, em 1945, teve início a construção da aerogare e, nesse ano, ficou concluída a plataforma de estacionamento de aeronaves, em frente à aerogare – uma plataforma já pavimentada com betão, um investimento de 700 contos. Apenas em 1947 foram concluídas as obras da aerogare e, nos dois anos seguintes, foram alcatroadas as duas pistas.

 

                                

 

Em  2 de Dezembro de 1945 eram inaugurados os serviços aéreos entre Lisboa e Porto pela C.T.A. - Companhia de Transportes Aéreos”, no Aeroporto de Lisboa (Portela), pelo Presidente da República General Óscar Carmona.

                     Presidente Óscar Carmona, na inauguração dos serviços da C.T.A. no Aeroporto de Lisboa

                               

                                                        

Neste dia o Diário de Lisboa noticiava: «levantaram vôo para o Porto os quatro aviões - três bimotores "Dragon" e um monomotor "Percifal Proctor" - da companhia, tripulados pelos srs. capitão Benjamim de Almeida, tenente Maia, tenente Marcelino, e major Costa Macedo e pelos radiotelegrafistas Serpa, Lemos, Pereira e levando os seguintes passageiros (...)».

                                                                 «De Havilland» DH89 Dragon Rapide

                                          

                                                                                «Percifal Proctor»

                                           

               Anúncio de 31 de Dezembro de 1946                                                     Anúncio da C:T.A.

 

Relativamente à inauguração do Aeroporto de Pedras Rubras o mesmo vespertino noticiava: «Quando surgiram no espaço, vindos de Lisboa, os 4 aviões da C.T.A. que vão servir na linha aérea diária Lisboa-Porto, e que conduzem diversas entidades oficiais da capital, a multidão saudou-os com uma grande salva de palmas e com vivas entusiásticos. Após a aterragem dos aparelhos, a qual marcará a inauguração do aeroporto, efectuar-se-á uma cerimónia comemorativa nos respectivos edifícios.»

As cerimónias de inauguração contaram com a presença do Subscretário de Estado das Obras Públicas Frederico Ulrich, em representação do governo, General Gaudêncio da Trindade, comandante da 1ª Região Militar, Brigadeiro Alfredo Sintra, comandante da aviação militar, tenente-coronel Humberto Delgado, director do Secretariado da Aeronáutica Civil, dr. Mário de Almeida , governador civil do Porto, o engenheiro Luiz de Pina, presidente da Câmara Municipal do Porto, entre outras individualidades.

De referir que entretanto, a 21 de Abril do mesmo ano já um avião bimotor, «Douglas» DC-3 Dakota, já tinha efectuado o primeiro voo oficial, e doméstico, a estrear a nova estrutura aeroportuária do país

                               

O primeiro voo internacional teve lugar em 1956 e quatro anos mais tarde foi dado início ao serviço de voos regulares com destino a Londres.

Em 1975, dado o crescimento da procura do “Aeroporto de Pedras Rubras”, a pista foi aumentada para 3480 metros. Já em meados da década de 1980 foi inaugurado um terminal de carga.

                               

Em 1990 deu-se a inauguração da nova aerogare e na altura a designação das instalações passou de “Aeroporto de Pedras Rubras” para “Aeroporto Francisco Sá Carneiro”. Foi assim homenageado o primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro, falecido a 4 de Dezembro de 1980 num desastre de avião em Camarate, quando viajava de Lisboa para Pedras Rubras.

                                                                         Aeroporto Francisco Sá Carneiro

           

Actualmente este aeroporto conta com uma pista com 3.480 m de comprimento e 55m de largura asfaltada, sendo o limite das linhas de pista 45m, e é considerado o melhor aeroporto de Portugal em termos de espaço na aerogare. Em termos de movimentos aéreos de carga e de passageiros é o segundo maior de Portugal, a seguir ao Aeroporto de Lisboa. Catorze  companhias aéreas operam neste aeroporto, de onde é possível voar para 64  destinos.

Com um tráfego anual de mais de 6 milhões de passageiros, o Aeroporto do Porto foi considerado em 2011 como o 3 º Melhor Aeroporto Europeu, pelo ACI (Airport Council International), sendo este o 7º prémio atribuído em seis anos consecutivos.

Fotos in: ANA, Matosinhos S. Roque, Amigos de Portugal, Retratos de Portugal, Calçada da Miquinhas, Clube Filatélico de Portugal 

Apêndice:

Por ocasião da inauguração Campo de Aviação Militar de Espinho em 25 de Outubro de 1925 - referido no 2º parágrafo deste artigo - foi feito um pequenino filme/documentário (mudo) para registar o evento, pela produtora portuense “Invicta Film”. Pelo que publico as matrizes em papel vegetal dos intertítulos do filme intitulado “Inauguração do campo de aviação militar em Espinho” (1925), que recolhi da Cinemateca Portuguesa.

                                              

              

              

              

1 comentário:

Anónimo disse...

É com muita pena que esta hitória não está completa faltando falar no Aero Clube do Porto que desde 1935 que muito deu á cidade do PORTO estava antes da construção do aeroporto e mais tarde ficando com o hangar de madeira da CTA ficando até, 1996/1997a famosa ANA contruir e ampliar o novo Aeroporto