19 de novembro de 2012

General Motors na Azambuja

Foi em 17 de Setembro de 1963 que a maior empresa do Mundo, a fabricante de automóveis e camiões americana “General Motors”  inaugurou a sua fábrica de montagem de automóveis e pequenos camiões em Portugal, em Vila Nova da Rainha na Azambuja, e pertença da sua subsidiária "General Motors de Portugal, Lda." O custo desta fábrica ascendeu a 72.000 contos (360.000 €) e iniciou a sua laboração com a a montagem da camioneta "Bedford" J, com apenas 150 operários.

Foram montados ao longo dos quarenta e três anos de existência desta fábrica veículos das seguintes marcas subsidiárias da "General Motors" : "Opel", "Vauxhall" e "Bedford" (subsidiária da britânica"Vauxhall Motors" ).

                                      Logotipos da "General Motors", "Opel", "Vauxhall" e "Bedford" em 1963

             

Neste post optei para uma informação mais completa, reproduzir uma pequena brochura que foi editada em 2003, por ocasião do quadragésimo aniversário desta fábrica, intercalando com algumas fotos, publicidade e pequenos apontamentos. Clicando nas páginas obterão resolução, que não sendo a ideal permitirá ler o texto e a história desta já desaparecida fábrica.

Maquetas

Fotos do complexo fabril em 1963

 

Nos anos 90 do século XX

        Stand da "General Motors" em Lisboa, em 1947                 No seu interior "Pontiac" Fastback Torpedo Sedan

 

                           Camião Bedford série "J" , o 1º modelo a ser produzido na GM da Azambuja em 1963

         

       

       

       

A seguir a foto e o desenho do “Opel Kadett A”  de 1963. Este foi o 1º modelo de automóvel "Opel" produzido nesta fábrica no mesmo ano. Neste desenho pode-se constatar a simplicidade na concepção deste automóvel.

       

                        1º modelo da «Vauxhall» montado nesta fábrica foi em 1964 e foi o «Vauxhall» Viva HA

              

Todos os veículos da "General Motors" , além dos fabricados na Azambuja, eram importados e comercializados pela "Sorel"  em Lisboa.

                                                         Instalações da "Sorel" na Av. Duarte Pacheco 

                                    

                                              1964                                                                                 1965

        

                                                                                          1966

                                     

      

                                                                   Camion "Bedford TK" de 1968

        39 40

       

      

      

                                                   Automóveis Opel Corsa

      

      

      

       

Esta fábrica chegou a empregar no ano de 2003, ano em que comemorou o 40º aniversário, 1207 trabalhadores. Após terminar a produção do “Opel Corsa” de passageiros em 2001 passou a produzir um só modelo o Combo B sob as marcas "Opel", "Vauxall", "Chevrolet" e "Holden".

                Último modelo produzido nesta fábrica da Azambuja. O "Opel Combo B" exportado para o "Royal Mail"

                                      

A foto anterior mostra um dos veículos, produzidos pela fábrica da Azambuja , (sob a marca “Vauxhall” ) para a Royal Mail, a empresa de correios britânica, duma encomenda de 20.000 veículos deste modelo. Igualmente foi satisfeita uma encomenda para a PT Comunicações de 500 veículos.

Esta fábrica foi encerrada em 21 de Dezembro de 2006 às 23h 10m, e ao fim de 43 anos, tendo a "General Motors" pago ao estado português uma indeminização compensatória de 17.702 milhões de euros. Esta fábrica era o principal empregador da região. A linha de montagem começou a ser desmantelada de imediato e todas as ferramentas afectas à montagem do Opel Combo foram transferidas para a fábrica de Saragoça. Os planos traçados pela "GM" foram cumpridos e que apontam para que o processo de desmontagem da unidade da Azambuja e instalação das linhas na fábrica espanhola demorasse cerca de dois meses.

No último ano de laboração em 2006 foram montados 73.711 veículos, empregando cerca de 1.100 operários.

Sem comentários: