2 de setembro de 2018

Fotógrafo Arnaldo Garcez e “Garcez, Lda.”

A loja de fotografia e artigos fotográficos “Garcez, Lda.”, foi fundada pelo fotógrafo e jornalista Arnaldo Garcez Rodrigues (1886-1964) na rua Garrett, em Lisboa, a 22 de Fevereiro de 1923. 

                                             1939                                                                                          1965

  

1927

    

Dezembro de 1931

 

Arnaldo Garcez, notabilizou-se por ter sido fotógrafo de guerra durante a participação de Portugal na I Grande Guerra (1914-1918) a partir de 9 de Março de 1916, com a declaração de guerra a Portugal por parte da Alemanha, e que se prolongaria até ao armistício de 11 de Novembro de 1918.

Arnaldo Garcez Rodrigues (1886-1964)

Nota. Acerca da participação de Portugal na I Grande Guerra , consultar neste blog o seguinte link: “Portugal na I Grande Guerra”.

Com a partida do contingente português para o teatro de guerra, Arnaldo Garcez integra-o, tornando-se assim num dos primeiros fotógrafos a assumir a posição de repórter de guerra. As suas imagens resumem-se a aspectos do quotidiano, nunca mostrando imagens de sofrimento do mesmo, naturalmente impedido pelos objectivos do seu trabalho e pela necessidade de não desmoralizar as populações que no país nada sabiam sobre o sofrimento dos seus parentes.

As imagens que nos chegam mostram essencialmente situações de casas destruídas, o dia-a-dia dos soldados e das senhoras da Cruz Vermelhas em actuação e as cerimónias oficias, mas mostram de forma clara a dimensão do conflito e a dimensão da nova intervenção. A dificuldade das linhas da frente, o manancial de destruição, a intervenção política nas visitas oficiais dos estadistas portugueses é objecto de pura história fotográfica de um país tantas vezes pobre nestas referências, que Garcez nos oferece no seu espólio.

Fotos de Arnaldo Garcez na I Grande Guerra (1914-1918)

 

 

As suas imagens das tropas portuguesas na frente da Flandres foram publicadas nas revistas da época, nomeadamente a “Illustração Portugueza” e “Portugal na Grande Guerra”. Participou ainda em várias exposições, como a “Exposição Fotográfica Inter-Aliada” em Paris, em Novembro de 1917 e publicou naquela cidade um conjunto de 72 (75?) postais fotográficos, na casa Lévy Fils e Cia.

 

Com o final da I Grande Guerra, em 11 de Novembro de 1918, Arnaldo Garcez  casa com Marcele Margueritte Alphonsine Marneffe, em Cherbourg, em 1920, de quem tem três filhos: Joaquim, Rui e Charles. Dedica-se a várias exposições fotográficas e outras atividades ligadas à Grande Guerra.

Arnaldo Garcez regressaria a Portugal em 1921, sendo o fotógrafo das cerimónias fúnebres dos Soldados Desconhecidos da Europa e África, que tiveram lugar em Lisboa e no Mosteiro da Batalha, em 9 e 10 de Abril de 1921, fez parte da “Liga dos Combatentes” e colaborou no levantamento de monumentos alusivos aos mortos na Grande Guerra, o que aconteceu por todo o país, sendo ainda membro da “Comissão de Padrões da Grande Guerra”, constituída por militares e civis dedicados e ilustres. Colaboraria, ainda, com os jornais “O Século” e “Diario de Lisbôa”.

Postal evocativo do centenário da entrada de Portugal na I Grande Guerra ilustrado com fotos de Arnaldo Garcez

O seu prestígio e a amizade com o Comandante Gago Coutinho leva-o a fazer uma grande reportagem sobre os preparativos e a partida para a “Travessia Aérea de Atlântico Sul” levada a cabo por Gago Coutinho e Sacadura Cabral, que largaram de Lisboa em 22 de Março de 1922.

Entre as várias condecorações civis e militares que lhe foram atribuídas, destaca-se as “Ordem de Santiago”, “Ordem da Vitória” e a medalha da “Cruz de Guerra”.

Arnaldo Garcez deixaria o jornalismo, e em 22 de Fevereiro de 1923, funda a loja “Garcez, Lda”, na Rua Garrett, 88 no Chiado, em Lisboa, dedicada à fotografia: venda de máquinas fotográficas, rolos fotográficos, demais artigos para fotografia e laboratório vindo a editar diversas publicações técnicas.

1965

Outubro de 1942

1953

 

Porta-fotos

 

 

A firma “Garcez, Lda.” seria dissolvida e liquidada em Julho de 2008.

Bibliografia - sites: Tipógrafos.net e Fascínio da Fotografia

fotos in: Hemeroteca Municipal de LisboaArquivo Municipal de Lisboa, Delcampe.net

Sem comentários: