Notícias do Blog

O Índice Alfabético dos artigos já publicados neste blog, já contém a partir de hoje, os links directos nos títulos respectivos. A seguir, o mesmo sucederá com o Índice Alfabético e por Temas   //   Foi reformulado o "Guia do Blog" disponibilizado na barra lateral    //    Ao ser redesenhada a barra de menús, e alterados alguns dos seus títulos, foi introduzido novo item "Estatísticas Blog"

15 de abril de 2018

Colégio Vasco da Gama em Lisboa

O “Collegio Vasco da Gama”, «para educação de meninos», abriu as suas portas em 15 de Outubro de 1915, na Rua D. Estephania, em Lisboa, tendo sido fundado e dirigido por Monsenhor António Manuel da Silva Pinto Abreu (1866-1948) e o Dr. Luiz Gonzaga da Silva Pinto Abreu.

23 de Setembro de 1915, no jornal “A Nação”

14 de Outubro de 1915, no jornal “A Nação”

Este Colégio inseriu-se na filosofia do recém criado “Integralismo Lusitano” que aglutinou o “Centro Acadêmico de Democracia Cristã”, refundado em 1911  por uma nova geração de jovens de Coimbra (como o Dr. Oliveira Salazar e o Cardeal D. Manoel Cerejeira) e o Centro Católico Português, criado em 1915, simpático e, por vezes alinhado, às  tendências monárquicas e antiliberais, apresentando-se à sociedade lusitana como uma alternativa privada e católica de formação intelectual, moral e religiosa das novas elites de Portugal.

Em 1916 muda de instalações para um palacete na Rua da Paschoa, em Lisboa. Anúncio de 3 de Outubro

Em 30 de Agosto de 1923 é apresentado à Câmara Municipal de Lisboa, para aprovação o projecto do arquitecto António Rodrigues da Silva Júnior (1868-1937), para o novo edifício do “Colégio Vasco da Gama” a ser construído na Travessa das Freiras a Arroios, junto ao Largo do Leão. Viria a ser inaugurado em 1925.

“Colégio Vasco da Gama”, ao centro na foto, com o “Instituto Superior Técnico” em fase de acabamentos

Outras vistas do Colégio, nas elipses desenhadas

 

Na revista “Política” de 1930, podia-se ler o seguinte anúncio:

«Colégio Vasco da Gama. Modelar estabelecimento de educação e ensino. Rivalizando com os melhores do estrangeiro. Instrução Primária, secundária,  industrial e agrícola. Internato, semi-internato e externato. Edifício escolar  expressamente construído. Campos de jogos, ginásio, patinagem, piscina,  equitação e cinematógrafo. Confiai-lhe a educação dos vossos filhos.»

O Colégio inicia, em 1925, a publicação da revista denominada de “Pedagogia e Cultura”, da própria instituição, que circulou entre os anos de 1925 e 1927, dirigida por Fidelino de Figueiredo, simpático às ideias monárquicas, pois estava ligado, simultaneamente, à direção do referido periódico, e sendo editor-chefe da revista de cultura “Portugália”, propriedade do “Conselho Diretor Central das Juventudes Monárquicas Conservadoras”. Em 1931, é criada uma publicação institucional do “Colégio Vasco da Gama” para sua divulgação.

                                             1926                                                                                          1940

 

Para a manutenção da ordem e disciplina, a direção do colégio sistematizou um regulamento interno, direccionado à orientação dos prefeitos, «pedras angulares, sobre que assenta a disciplina geral do estabelecimento, e portanto devem exercer sobre os alunos uma ação contínua e eficaz». Aos alunos era reservado um ordenamento disciplinar de 28 artigos. O regulamento expressava a concepção pedagógica e de formação do carácter dos alunos do colégio: silêncio, pontualidade, espírito de poupança, critérios na leitura de livros e revistas, asseio, civilidade, ordem e disciplina. Assim, os diretores e docentes do colégio procuraram instituir uma proposta pedagógica, nascida no antirrepublicanismo lusitano.

Provas de natação na piscina do Colégio, em 1928

 

            

Em finais do ano lectivo de 1940-1941 o “Colégio Vasco da Gama” é extinto e as suas instalações são adquiridas pela que aí instala o “Colégio do Sagrado Coração de Maria”, «para educação de meninas», pertença do “Instituto das Religiosas do Sagrado Coração de Maria”, em Portugal. Esta instituição nasceu em França a 24 de Fevereiro de 1849, fruto do dom concedido ao Padre Jean Gailhac  e da sua vontade de encontrar uma resposta para as necessidades gritantes da sua cidade natal - Bézieres.

14 de Outubro de 1941

16 de Setembro de 1941

Foi, também, fundadora do “Colégio do Sagrado Coração de Maria” a Mère S. Jean, primeira superiora geral do “Instituto das Religiosas do Sagrado Coração de Maria”, em Portugal, iniciando a sua actividade logo em 15 de Outubro de 1941.

24 de Junho de 1946


O “Colégio Sagrado Coração de Maria”, em 1943 já tinha 660 alunos. Nos anos 50 do século XX abriu a classe infantil e inaugurada a capela.

Em 1991 o “Colégio do Sagrado Coração de Maria” comemora o seu Cinquentenário e é iniciada a demolição do primitivo edifício, sendo construído outro no seu lugar, obedecendo à antiga traça exterior.

Em 2016, comemorou o seu 75º aniversário.

Fotos in:  Arquivo Municipal de Lisboa, Hemeroteca Municipal de Lisboa, Biblioteca Nacional Digital, Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian (Estúdio Mário Novais)

Sem comentários: