30 de novembro de 2017

J. Nunes Corrêa & C.ª

O Armazem de Fazendas e Fato Feito “J. Nunes Corrêa & C.ª”, instalado no edifício esquina da Rua do Ouro com a Rua de S. Julião, em Lisboa, abriu as suas portas em 14 de Abril de 1856, tendo como seu fundador o alfaiate Jacinto Nunes Corrêa (1830-1905), oriundo de uma família de algibebes.

“J. Nunes Corrêa & C.ª”, no edifício na Rua do Ouro com a Rua S. Julião, durante as comemorações do 5 de Outubro de 1911 e no edifício com as tabuletas da 2ª esquina, à esquerda na foto da direita

 

Interiores do edifício segundo projecto do arquitecto Hermenegildo A. Faria Blanc

         Jacinto Nunes Corrêa (1830-1905)                                                          Gravura de 1879

 

Pub

«Jacinto Nunes Correia conseguira, então, que os alfaiates da sua casa cortassem calças melhor que o famoso Strauss, e assim obteve os favores dos elegantes do tempo e ser nomeado fornecedor da Casa Real, da melhor aristocracia e de todo o corpo diplomático. Foi o primeiro chefe português de alfaiataria a ir escolher as fazendas ao estrangeiro, e as fábricas de Inglaterra aguardavam a sua chegada para saberem as cores que haviam de lançar.
Homem de vistas largas e de grande coração, fundou no Asilo Maria Pia, uma oficina de alfaiate para desenvolver a industria em Portugal e criar os seus continuadores.»

23 de Março de 1879

De referir que, foi Jacinto Nunes Corrêa que trouxe a primeira máquina de costura “Singer” para Portugal. Entretanto seu irmão possuía idêntico estabelecimento, na esquina da Rua de São Julião com a Rua Nova do Almada, com a designação de “Manoel Nunes Corrêa, Filhos & C.ª”.

1905

 

1893

Foram clientes ilustres, Almeida Garrett, o Conde de Farrobo, Manuel de Arriaga, Teófilo Braga ,Ramalho Ortigão, Rainha D. Amélia (fatos de amazona),

Foi da "J. Nunes Corrêa & C.ª" que saíram os antigos empregados Miguel Pereira Lourenço e Manuel Gomes dos Santos, que fundariam, em Outubro de 1910, a prestigiada alfaiataria "Lourenço & Santos, Lda.", instalada na esquina da Rua 1º de Dezembro com a Praça dos Restauradores, numa das lojas do "Avenida Palace Hotel".

"Lourenço & Santos, Lda."

Em 1919, a "J. Nunes Corrêa & C.ª", muda de instalações e ocupa o prédio esquina da Rua Augusta, 250 com a Rua de Santa Justa, em Fevereiro de 1920. Este estabelecimento tinha acabado de adquirir o edifício onde anteriormente tinha estado instalada a “Casa Brasil” desde 1912, tendo chegado a ocupar o prédio todo. As antigas instalações na rua do Ouro seriam ocupadas em 1919 pelo “London & River Plate Bank” entre 1919 e 1923 , ano em que se instala o “Bank of London & South America” (1923-1973), fundado nesse mesmo ano resultado da fusão do “London & River Plate Bank” (1919-1923) com o “London & Brazilian Bank Limited” (1862-1923).

Na revista “Illustração Portugueza” em 23 de Fevereiro de 1920, com algumas sérias imprecisões no texto

 

“Casa Brasil”, em duas alturas diferentes, antes de ser adquirida pela "J. Nunes Corrêa & C.ª"

 

1912

"J. Nunes Corrêa & C.ª" já no edifício da Rua Augusta, 250-252

Esta casa continuou na posse dos descendentes de Jacinto Nunes Corrêa até 1957, altura em que passou para Mário Leão, também ele alfaiate.

Em 14 de Abril de 1956 comemorava o seu I Centenário

Em 1 de Janeiro de 1960 é criada a “J. Nunes Correia & C.ª, Imobiliária, Lda.”, com sede no mesmo edifício do estabelecimento comercial, Rua Augusta 250-252, e com o intuito de gerir os bens imobiliários da empresa.

Em 1974, a casa "J. Nunes Corrêa & C.ª, Lda.",  foi alvo da remodelação mantendo o que a caracterizava - loja bem decorada, forrada a painéis de madeira, ao estilo clássico, de fachada notável e na esquina uma placa comercial emoldurada por cantaria lavrada.

 

 

A "J. Nunes Corrêa & C.ª, Lda.", seria despejada do edifício que ocupava desde 1920, conforme edital de 20 de Julho de 2015.

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian (Estúdio Mário Novais), Arquivo Municipal de Lisboa, Hemeroteca Municipal de Lisboa, Biblioteca Nacional Digital

Sem comentários: