2 de outubro de 2016

Cinema “Mundial”

O Cinema “Mundial” localizado na Rua Martens Ferrão, em Lisboa, e projectado pelo arquitecto Manuel Ramos Chaves, foi inaugurado em 22 de Setembro de 1965. O seu primeiro proprietário foi o empresário David de Araújo através da sua empresa “Mundial Filmes”, que tinha mandado construir o edifício.

 

    11 de Maio de 1964                                                             15 de Outubro de 1965

 

«O cinema Mundial, que se fica devendo á tenacidade do empresário David de Araújo, é uma sala confortável, elegante, de óptimo aspecto. Situado próximo da Avenida Fontes Pereira de Melo, o novo cinema, que ontem, pela primeira vez, recebeu o público, sem dúvida que enriquece a zona no campo do espectáculo.» in “Diario de Lisbôa”

O filme exibido para a sua abertura foi "A Idade Ingrata" com Jean Gabin e Fernandel

Programa e bilhete


bilhete gentilmente cedido por Carlos Caria

O “Mundial”, viria a tornar-se sistema multi-salas com 3 salas. A Sala 1, e a principal, uma no piso da entrada e as outras duas, Sala 2 e Sala 3, no piso -1, piso este onde havia ainda uma outra sala e um bar .

Em 2004,  era propriedade da “Lusomundo Audiovisuais”, que alegando esta razões de segurança e fraca afluência de público às três salas de exibição encerra o “Mundial”.

Em Janeiro de 2005, a sala 1 reabriu com uma peça de teatro, tendo, posteriormente acolhido alguns espetáculos, esporadicamente.

Este espaço vai reabrir no início do próximo ano de 2016, mas como centro cultural e empresarial. Até ao final do ano os promotores da iniciativa, liderados pelo actor Paulo Matos, afirmam que a primeira fase das obras estarão deverá estar concluída “no primeiro trimestre de 2016”, altura em que o espaço começará a funcionar.

A primeira fase de obras no edifício da Rua Martens Ferrão, na zona de Picoas, passa pela renovação da fachada. com uma cor diferente, um ar diferente, uma renovação integral. Do tempo em que era cinema ficaram três salas - uma no piso da entrada e duas no -1, piso onde há ainda uma outra sala e um bar. No primeiro piso há uma varanda e uma mezzanine. O edifício tem uma outra cave, no -2, onde funcionou o Club “Black Tie” (anteriormente e durante muitos anos, a Boite “Cave Mundial”).

                                  Bar-Dancing “Cave Mundial”                                        Club “Black Tie”

         

Segundo um artigo publicado no “Diário de Notícias” de 16 de Setembro de 2016, e disponibilizado pelo blog IÉ-IÉ, uma sociedade de «seis ou sete pessoas», na qual se destaca o actor Paulo Matos, comprou o "Mundial" em 2015, para o transformar numa nova sala de teatro lisboeta, o "Espaço Mundial".

Depois de retirado o ecrã de cinema e nas palavras do Paulo Matos «esta sala é a maior e é ainda maior porque tem um segundo palco». Esse mais elevado permite aumentar o número de espectadores na plateia de 260 para 500 lugares. Contará com 2 estúdios em baixo, um foyer, bar e uma varanda onde será instalado um restaurante.

Se as obras correrem como previsto, está pensada a inauguração do "Espaço Mundial" para o dia 5 de Maio de 2017, "Dia Mundial da Língua Portuguesa".

Fotos in: Arquivo Municipal de Lisboa

Sem comentários: