25 de maio de 2016

Teatro Sá de Miranda

O “Theatro Sá de Miranda”, projectado pelo arquitecto José Geraldo da Silva Sardinha, em Março de 1875, foi inaugurado em Vianna do Castelo, a 29 de Abril de 1885. A sua construção deveu-se ao esforço de um grupo de personalidades desta cidade, liderado pelo conselheiro Antonio Alberto da Rocha Paris,  e que constituiriam para esse fim, a “Companhia Fomentadora Vianense”, em Março de 1875, depois de aprovados os estatutos pelos accionistas no ano anterior.

É um Teatro à italiana com a plateia em forma de ferradura e três ordens de camarotes, com capacidade de 400 lugares. O Pano de Boca foi desenhado por Luigi Manini e pintado por Hercole Labertini, cenógrafos do “Teatro Nacional de S. Carlos”, em Lisboa, e o tecto, uma imagem do céu em trompe l´oeil, com retratos de dramaturgos, foi pintado por João Baptista do Rio.

Gravura, aquando da sua inauguração, na revista “Occidente”

No “Diccionario do Theatro Portuguez” de Sousa Bastos, acerca deste teatro pode-se ler:

«O projecto d'este theatro foi elaborado pelo architecto Sardinha, lançando se a primeira pedra em dezembro de 1875. A iniciativa foi devida principalmente ao conselheiro António Alberto da Rocha Paris, José Affonso de Espergueira, Sebastião da Silva Neves, José Alves de Sousa Ferreira, Major José Maria Pareira Vianna e Dr. José Alfredo da Camara Leme. A sala d'espectaculo é em semi-circulo.Tem 20 frizas, 21 camarotes de 1.ª ordem e 16 de 2.ª todos amplos e luxuosos, dando para espaçosos corredores e para um vasto salão. A plateia tem 82 cadeiras e 132 logares de geral. Estes logares estão muito á vontade e podem elevar-se a perto de 300. A decoração é muito bonita e graciosa. O tecto foi muito bem pintado por João B. do Rio.   

O palco é muito espaçoso. O primeiro scenario da caza foi pintado pelo fallecido Lambertini. Por baixo do palco ha 17 magníficos camarins e diversas arrecadações. Bom machinismo, excellente serviço de ventillação, conveniente illuminação a gaz, nada falta ao elegante theatro, um dos melhores das províncias. Teem ali representado quasi todos os nossos primeiros artistas, todas as companhias do Porto e as principaes de Lisboa. É um theatro verdadeiramente commodo e luxuoso e com bello rendimento.»

Por sua vez a revista “Occidente” concluía a notícia da inauguração do “Theatro Sá de Miranda” do seguinte modo:

«Podem pois ufanar-se esses obreiros do progresso de Vianna, a quem hoje toda a cidade civilisada agradece, nomeadamente aos dois sympathicos cavalheiros, o major de infanteria José maria Pereira Vianna e o dr. José Afredo da Camara Leme, o primeiro dos quaes foi substituir na direcção do referido theatro o chorado benemerito da nossa terra, dr. José Affonso de Espregueira, e o quaes, por uma louvavel força de vontade e dedicação, conseguiram que o theatro se inaugurasse no dia 29 de abril, ante uma assistencia numerosa de espectadores enthusiasmados até ao delírio.»

A Câmara Municipal de Viana do Castelo viria a adquirir o “Teatro Sá de Miranda” em 1985, numa altura em que a sua degradação se acentuava. Desde então tem promovido obras de beneficiação, primeiro, em 1993, dando segurança e comodidade ao público e, numa segunda fase, dotando a caixa de palco dos mais modernos equipamentos cénicos, que permitem pôr em cena os mais exigentes espectáculos.

 

 

             

Presentemente a sua lotação está assim distribuída:

Plateia com 190 lugares
14 Frisas com total de 56 lugares
15 Camarotes de 1ª Ordem com um total de 60 lugares
16 Camarotes de 2ª ordem com um total de 64 lugares
Camarote Presidencial com 6 lugares

       

Fotos in: Hemeroteca Digital, Delcampe.net, Olhar Viana do Castelo, Centro Dramático de Viana

Sem comentários: