16 de maio de 2014

Piscina Municipal dos Olivais

A “Piscina Municipal dos Olivais” foi inaugurada, na noite de 25 de Julho de 1967, com a presença do chefe de Estado Almirante Américo Thomaz, acompanhado pelos Ministros do interior e do Ultramar e pelo Presidente da Câmara Municipal de Lisboa General França Borges.. A cerimónia ficou «assinalada por um festival de inegável interesse, que incluiu provas de natação pura, bailados aquáticos, saltos artísticos e humorísticos.»

Cerimónias da inauguração com a presença do Chefe de Estado Almirante Américo Thomaz

 

No fim de semana seguinte teriam lugar neste complexo de piscinas, o "Torneio das Seis Nações" em natação.

 

Os dois arquitectos que conceberam o projecto da “Piscina Municipal dos Olivais”, Aníbal Barros da Fonseca e Eduardo Paiva Lopes, destacaram-se ainda pelo conjunto arquitectónico do “Hotel Lutécia”, “Cinema Vox” e “Teatro Maria Matos”. Aníbal Barros da Fonseca foi também, com o arquitecto Rodrigues Lima, autor dos emissores de Monsanto, Montejunto e Coimbra (Lousã) da RTP - Radiotelevisão Portuguesa e de lojas para venda de televisores, nomeadamente na Praça de Londres.

 

 

 

A “Piscina Municipal dos Olivais”, foi a primeira que existiu na cidade de Lisboa com características olímpicas, e durante a qual foram batidos 12 recordes nacionais, sobressaindo uma atleta moçambicana - Dulce Gouveia. Mário Simas, antigo nadador internacional e olímpico, recordista e campeão nacional, efectuou o percurso inaugural.

Grandes provas da natação internacional e atletas de renome utilizaram este espaço desportivo da cidade, conferindo-lhe um brilho e uma festividade que permaneceu no imaginário de homens como Paulo Frischknecht, antigo presidente da “Federação Portuguesa de Natação”.

 

 

 

À data do seu encerramento, em 2005, o “Complexo Desportivo dos Olivais” era constituído por duas piscinas: a piscina descoberta de 50 metros, mais antiga, e a nova piscina coberta de 25 metros, inaugurada em 2000 cujas obras foram financiadas por fundos comunitários.

Quatro anos depois, o concurso público para a requalificação desta e de outras duas piscinas, situadas no Campo Grande e no Areeiro, ficou deserto. Em 2010, a Câmara lançou novo concurso internacional e a “Ingesport” venceu a concessão das piscinas dos Olivais e do Campo Grande.

A empreitada representa um investimento de cerca nove milhões de euros totalmente a cargo do grupo “Ingesport”, que tem mais de uma dezena de ginásios em Espanha.

fotos in: Arquivo Municipal de Lisboa

4 comentários:

Infor Paulo disse...

Passei grande parte da minha juventude na Piscina do Campo Grande e não sabia o fim triste que ela teve. Espero que realmente as Piscinas dos Olivais, Areeiro e Campo Grande sejam recuperadas e voltem a oferecer um espaço único de Lazer e Bem estar, que elas ofereciam à População de Lisboa.
Obrigado pelo seu post.

José Leite disse...

Caro Paulo

Grato pelo seu comentário.

Brevemente publicarei artigos acerca das piscinas do Areeiro e Campo Grande

Cumprimentos

José Leite

Xurxo disse...

Jose, disfrutei moito do seu blog, e descubrin moitas fotografías das antigas piscinas dos Olivais. Como curiosidade, ¿son fotografías de arquivo? ¿Existen mais disponibles? Teño estudiado estas piscinas, mesmo deseños orixinais das mesmas, pero atopei poucas fotografías na rede.
Obrigado
(NOTA: desculpas por non escribir en portugues, soamente en galego...)

José Leite disse...

Xurxo

Para mais fotos consultar seguinte link:

http://arquivomunicipal2.cm-lisboa.pt/sala/online/ui/searchbasic.aspx?filter=AH;AI;AC;AF

Na caixa de pesquisa escrever: Piscina dos Olivais

Cumprimentos

José Leite