6 de outubro de 2013

Teatro Nacional São João

O “Real Theatro de S. João”, foi inaugurado oficialmente, na cidade do Porto no dia 13 de Maio de 1798. Iniciativa do Corregedor Francisco de Almada e Mendonça e de um grupo de accionistas privados, apostados em dotar a «segunda cidade do Reino» de uma «bela escola de costumes e de civilidade», o Real Teatro de São João, assim apelidado em homenagem ao então Príncipe Regente, futuro D. João VI, foi construído sobre projecto do arquitecto e cenógrafo italiano Vincenzo Mazzoneschi. Seria o primeiro edifício construído de raiz no Porto exclusivamente destinado à apresentação de espectáculos.

           Primitivo projecto, de 1796,  para o “Real Theatro de S. João”                D. Francisco de Almada e Mendonça

 

Apesar de alternadamente explorado, nem sempre de forma pacífica, por companhias de teatro declamado e de teatro lírico, a actividade deste Teatro, acabaria por ficar vinculada ao universo da ópera italiana, cujo monopólio de representações na cidade deteve até perto do final do século XIX.

 

A planta do “Real Theatro de S. João”, era em forma de ferradura. O tecto, redondo, fora pintado por Joaquim Rafael e em 1856 recebeu nova pintura de Paulo Pizzi. Tinha quatro ordens de camarotes, ficando a tribuna real na segunda. O átrio era amplo, os corredores largos e tinha boas escadarias. No pavimento da 2ª ordem de camarotes existia um magnífico salão para concertos. O teatro possuía uma excelente acústica. O pano do palco tinha sido pintado por Sequeira, sendo substituído em 1825 por um novo da autoria do espanhol João Rodrigues e mais tarde por outro de Palucci. Até 1838 a iluminação foi de velas de sebo e depois de azeite.

  

                                         1859                                                                                      1907

             

História do “Theatro de S. João” até 1864 na revista “Archivo Pittoresco” em 1864



Em 11 de Abril de 1908, o teatro sofre um incêndio, e nesse mesmo ano é nomeado pelo Governador Civil uma comissão destinada a promover a construção de um novo teatro. Depois de recusadas as primeiras propostas, num primeiro concurso,  em 22 de Fevereiro de 1910, são abertas as novas propostas dos anteprojectos, e o arquitecto Marques da Silva obtem o primeiro prémio e o arquitecto João de Moura Coutinho de Almeida d'Eça o segundo prémio.

 

      

Os arquitectos responsáveis pela construção do novo teatro foram: Arq. José Marques da Silva; mestre António Baganha Pai (estuque e argamassa de cimento); Diogo de Macedo, Sousa Caldas, Joaquim Gonçalves da Silva e Henrique Moreira (estatuária); José de Brito e Acácio Lino (pinturas). As obras do novo “Teatro de São João” foram executadas pela empresa “Soconstroi”, tendo sido concluídas em 1918. Finalmente, a 7 de Novembro de 1920, teria lugar a inauguração com apresentação da ópera “Aida”, de Guiseppe Verdi.

“Illustração Portugueza” em 7 de Março de 1910

Teatro S. João.0 Teatro S. João.1 (07-03-1910)

Depois de ter sido construída uma cabine de projecção em 1932, o “Teatro São João”  passa a funcionar como cinema, e com a designação de “São João Cine”; A empresa exploradora deste cinema, foi a “Agência Cinematográfica H. da Costa Lda.”

                                                  1937                                                                         1941

                  

                                                   1944                                                                        1956

    

Depois de, em 26 de Fevereiro de 1982, ter sido classificado como Imóvel de Interesse Público, em 1992 o Estado adquire o imóvel á família Pinto da Costa. Depois de ter sofrido profundas obras de remodelação, entre 1993 e 1995, da responsabilidade do arquitecto João Carreira, o “São João Cine”, a partir de 1995, passa de novo à sua função de teatro,  entrando em funcionamento regular, com a designação de “Teatro Nacional São João”.

 

 

 

fotos in: Delcampe.net, Hemeroteca Digital, Cinemas do Porto, Teatro Nacional São JoãoAqui Tailândia

12 comentários:

João Menéres disse...

Outra fantástica postagem !
Muito completa e bem ilustrada.
Então quem é o autor da pintura do teto da Sala ?
É o Acácio Lino, realmente ?

João disse...

Caro José Leite,
Antes de mais, permita-me congratula-lo pelo excelente trabalho que tem vindo a desenvolver com este blog, no entanto permita-me um pequeno reparo: neste post, a imagem de um edifício em construção, que surge ao lado da planta dos lugares, não pertence ao Teatro Nacional de S. João. Tal poderá ser comprovado pela fenestração, a qual não corresponde nem à do teatro nem à de nenhum dos projectos apresentados. Uma visão mais atenta leva-me a crer que a imagem em causa, trata-se afinal de uma fotografia do actual edifício da Câmara Municipal do Porto em fase de construção, mais precisamente da fachada voltada para a Rua Clube dos Fenianos.

José Leite disse...

Caro João Menéres

Grato pelas suas amáveis palavras.

O tecto deste teatro foi pintado por José de Brito (1855-1946), antigo estudante da Academia Portuense de Belas Artes.

Os meus cumprimentos

José Leite

A Gata de Saltos Altos disse...

Encontrei este blog "por acaso" e ADOREI! Gosto muito de história, ver como era há muitos anos e como é agora... Achei este blog super interessante. Parabéns :)

Boa semana.

http://agatadesaltosaltos.blogspot.pt/

José Leite disse...

Caro João

Tem toda a razão, realmente devo ter sido induzido em erro e não reparei em pormenores que levariam à sua acertada conclusão. Realmente existe uma semelhança mas não se trata do edifício do teatro.

Já retirei a foto e agradeço a sua chamada de atenção, pedindo desculpa pelo erro.

Os meus cumprimentos

José Leite

José Leite disse...

Cara "Gata de Saltos Altos" :)

Muito grato pelas suas amáveis palavras.

Vou dar uma "espreita" ao seu blog ...

Os meus cumprimentos

José Leite

Filipe Vieira Nicolau disse...

Caro José Leite,
Ao ler o seu comentário no prosimetron, deparei-me com o seu magnífico blogue. Extraordinário! Vou acompanhá-lo a partir de agora. Parabéns!

José Leite disse...

Caro Filipe Nicolau

Não foi minha intenção publicitar o meu blog, ao tentar dar uma «mãozinha» a um colega nestas andanças, e que sigo diáriamente pela qualidade do mesmo.

Mas decerto foi ver o meu perfil e realmente lá está este blog.

Muito grato pelas suas amáveis palavras e pelo seu comentário

Os meus cumprimentos

José Leite

Anónimo disse...

Adorei ler a história deste teatro, sua evoluçao ,a transformaçao que sofreu,consequencia do incendio , e que tantas vezes me foi relatado pela minha avó. Procurei nas imagens os anuncios dos espectaculos que me transportaram a minha infancia colorida pelas historias passadas nesse teatro...Muito obrigada.Parabéns pelo excelente trabalho.Maria Ana Jordão.

José Leite disse...

D. Maria Ana Jordão

Muito grato pelas suas amáveis palavras e comentário.

Os meus cumprimentos

José Leite

João Menéres disse...

Não pretendi afirmar, mas pensava que era do
José de Brito.
Agradeço a confirmação.

Um abraço.

José Leite disse...

Caro João Menéres

Já lhe tinha respondido, no mesmo dia.

O tecto deste teatro foi pintado por José de Brito (1855-1946), antigo estudante da Academia Portuense de Belas Artes.

Um abraço

José Leite