17 de janeiro de 2013

Porto de Lisboa (5)

           Cais da  Gare Marítima de Alcântara , paquete “Moçambique” da Companhia Nacional de Navegação

     Carga de barricas de resina no Aterro de Santa Apolónia                                     Cais de Santa Apolónia

      

1956

Cais da Gare Marítima da Rocha do Conde d’Óbidos e paquete “Carvalho Araújo”

                       Cais da Rocha do Conde d’Óbidos                                     Junto ao Entreposto Central em 1939

 

fotos in: Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian, APP - Associação dos Portos de Portugal

12 comentários:

João Celorico disse...

Caro José Leite,
As 3 últimas fotos, dão-me algumas novidades (porventura serão da década de 40, ou anteriores).
Na primeira, Gare Marítima da Rocha (na parte interior, designada por eclusa) é uma surpresa ver o Carvalho Araújo aí atracado, quando eu só estava acostumado a vê-lo no cais da Insulana (Santos). Em primeiro plano, lado esquerdo, parece-me ver o rebocador “Cabo Raso(?)” e do lado direito a draga de colher “Eng. Matos” (construída em 1930).
Na segunda, é uma surpresa ver em Santa Apolónia (penso que seja o Cais da Fundição) um paquete estrangeiro e daquele porte. Só o conheci como cais dos navios da CNN.
Na terceira, a linha do caminho de ferro, até defronte do que é hoje o Ministério das Finanças, talvez explique a designação da Estação do Sul e Sueste e esta ser pertença da CP.

Melhores cumprimentos,
João Celorico

A.Carvalho disse...

Quem são os fotógrafos, títulos das fotos e datas das mesmas? Sem fotos classificadas o valor deste acervo tende para zero.

José Leite disse...

Caro A. Carvalho

Como devia saber mais de 99 % das fotos que são publicadas e circulam na internet, não contêem as informações que pretende. Muitas delas nem o título. Por vezes referem o fotógrafo (muito raramente) e datas muito menos.

Julgo que sabe, que muitas das fotos são postais antigos, que não indicam essas informações.

A publicação das fotos, postais e outro material neste blogue é apenas para divulgação e comercialmente desinteressada, e que muito tempo me ocupa.

Como não estou interessado em comercializar este material pelo que a minha preocupação no seu valor, e utilizando a sua linguagem matemática, «tende para zero».

Se pretende realmente pesquisar fotos com essa informação na sua totalidade, aconselho a fazer uma busca deveras aturada, ou enveredar por outros meios de pesquisa.

Os meus cumprimentos

J.Leite

José Leite disse...

Caro João Celorico

Grato por mais um precioso comentário.

Também fiquei na dúvida, quanto à foto do paquete estrangeiro, mas como a foto não mostra o enquadramento com devida dimensão, e a mesma estava incluída numa série de fotos todas retratando as zonas entre Cais da Alfândega e Cais da Matinha, arrisquei.

Os meus cumprimentos

J. Leite

João Celorico disse...

Caro José Leite,

Voltando à foto do Cais de Sta. Apolónia. É uma foto datada entre 1932/1939. Isto porque o navio "Roma", construído em 1926, passou para a Societá Italia em 1932 e saiu do percurso comercial em 1939, para ser transformado em porta-aviões. Quando parecia estar a postos para entrar na guerra, em 1944, os "malandros" dos aliados deram cabo dele, ainda no porto de Génova. Os alemães, para que ele não se tornasse um empecilho à navegação no porto, resolveram afundá-lo mais um bocadinho. Acabou a guerra e ele foi retirado, em 1952, para a sucata!
Tinha 215 metros de comprimento e uma envergadura tal que, realmente, me causa dúvidas ser o Cais de Sta. Apolónia, devido à falta de fundo disponível. Não sei se a Rocha teria mais fundo ou não!

Cumprimentos,
João Celorico

José Leite disse...

Caro João Celorico

Estive a pensar no seu comentário e estou mais inclinado para que seja no cais de Santos, mas ...

Grato pelo seu comentário

Cumprimentos

J. Leite

João disse...

Caro José Leite

Descobri hoje o seu Blog.
De facto, sem a informação dos autores das fotos, títulos e datas das mesmas, o valor das mesmas pode tender a zero, mas uma coisa é certa, esta pesquisa dá muito trabalho e dá gosto rever imagens de algo que já conhecemos há muitos anos e que nos recordam a nossa infância. Por favor não esmoreça.

José Leite disse...

Caro João

Muito agradecido pelo seu comentário e pelas suas amáveis palavras.

Os meus cumprimentos

J. Leite

João Celorico disse...

Caro José Leite,
dentro da mesma base informativa e analisando uma foto ligeiramente mais larga,posso afirmar que o "Roma" está atracado no cais da Rocha do Conde de Óbidos.

Cumprimentos,
João Celorico

João Celorico disse...

Caro José Leite,
no seguimento do comentário anterior, segue a seguinte descrição: "Carga de barricas de resina no Aterro de Sta. Apolónia (onde hoje é o entreposto)."

As minhas desculpas,
Cumprimentos,
João Celorico

João Celorico disse...

Caro José Leite,
já agora, mais uma:
A foto, a terceira, junto ao actual Ministério das Finanças, é de 1939 e refere-se a um carregamento de cortiça, no que então era o Entreposto Central.

Por hoje, parece ser tudo.
Mais uma vez as minhas desculpas, mas quis aqui trazer as minhas recentes "descobertas".

Cumprimentos,
João Celorico

José Leite disse...

Caro João Celorico

Muito agradecido pela sua paciência e disponibilidade nas informações.

Cumprimentos

José Leite