27 de dezembro de 2012

Hotel de Turismo da Guarda

Em 1933 a revista "Notícias Ilustradas" lança o "Concurso do Hotel Modelo", com o apoio do Comissariado de Turismo. Oito arquitectos foram convidados a desenhar número igual de hotéis, um por província portuguesa da Metrópole, todos sob a orientação do arquitecto Raúl Lino e baseado no modelo "Casas Portuguesas". Em consequência o departamento de turismo da cidade da Guarda, aproveitando um dos projectos mandou construir um hotel não exactamente igual mas muito na linha desses modelos.

                                                    Maqueta do projecto do arquitecto Vasco Regaleira

 

Projectado por Vasco Regaleira em 1936, o "Hotel Turismo da Guarda" cuja construção tinha sido iniciada em 1936 só estaria concluído em 1947. O projecto inicial foi confiado ao arquitecto pelo Ministério das Obras Públicas e Comunicações, tendo o ministro Duarte Pacheco orientado pessoalmente a sua elaboração, como afirma o arquitecto na memória descritiva. Da fase projecto actual à conclusão de obra ocorreram impasses, alterações e remodelações, sem que o autor fosse consultado.

                              

                              

Em 1958 Vasco Regaleira era convidado pelo Presidente da Câmara Municipal da Guarda a reformular o projecto sob orientação do SNI - Secretariado Nacional de Informação.

«Procedeu-se à construção de dois corpos que ampliaram a frente urbana do imóvel, construiu-se um novo corpo. O edifício apresenta três pisos com áreas distintas de recepção, refeição, lazer, dormidas e serviços. Os interiores apresentam paredes rebocadas e desempenadas à talocha, silhares de azulejos policromos, portas e guarda-ventos em castanho, pavimentos em ladrilho de granito e tectos rebocados com pinturas de fresco que imitam a técnica do século XVIII, bem como tectos de saia e capote em castanho. Exteriormente utilizou-se na cobertura telha portuguesa de encaixe; beirais e sob-beirais com topos tomados, ao gosto da região da Beira Alta e cantarias de granito trabalhado a pico fino» in: IPPAR.

        

               

       

Em 1978 era concessionária do imóvel a empresa "Transcontinental" e em Novembro de 2003 a empresa "Predial das Termas de S. Pedro do Sul" ganhou a concessão do hotel, em concurso público.

Em 29 Maio de 2005 é elaborado o despacho de abertura do processo de classificação, pelo presidente do "IPPAR - Instituto Português do Património Arquitectónico".

                                                                        Foto nos anos 60 do século XX

                              

A autarquia da cidade da Guarda assumiria a gestão e a exploração do "Hotel de Turismo" em 10 de Outubro de 2007, através da "Sociedade Hotel de Turismo", após rescindir, por mútuo acordo, o contrato de concessão com a "Predial das Termas de S. Pedro do Sul". Esta decisão permitiria que a autarquia pudesse avançar com o plano de remodelação do edifício do Hotel, no âmbito de uma candidatura, já aprovada, apoiada pelo "SIVETUR - Sistema de Incentivos a Produtos Turísticos de Vocação Estratégica". As obras orçadas em cerca de 9 milhões de euros, iriam transformar a unidade hoteleira mais antiga da cidade, num Hotel de quatro estrelas, transformando-o num equipamento de qualidade.

                                                                               Etiqueta de bagagem

                                                

O "Hotel de Turismo da Guarda" fechou as portas no dia 31 de Outubro de 2010, após a Câmara Municipal, proprietária do imóvel, ter decidido proceder à venda do edifício, por 3,5 milhões de euros, ao "Instituto de Turismo de Portugal" que ali irá instalar uma "Escola de Hotelaria e Turismo de Portugal".

À data do seu encerramento esta unidade hoteleira de 3 estrelas oferecia 98 quartos e 2 suites, restaurante, bar, sala de conferências, piscina, etc.

                      Fotos do exterior e interiores do  "Hotel de Turismo" da Guarda no ano do seu encerramento

                                    

        

       

A "Escola de Hotelaria e Turismo", será a primeira especializada em Saúde e Bem-Estar a servir em conjunto os distritos da Guarda e de Viseu reforçará a resposta às necessidades formativas do sector turístico nesta região, contribuindo para a criação de emprego qualificado e para a melhoria dos serviços, em linha com os objetivos do Plano Estratégico Nacional do Turismo. Com abertura prevista para 2013, a nova unidade representa um investimento de 12 milhões de euros. Este estabelecimento de ensino, com capacidade para 200 a 250 alunos, estende também a sua oferta educativa ao domínio do Turismo Cultural e Paisagístico, contando com um hotel de aplicação, um restaurante de aplicação, um auditório e um refeitório para alunos.

Sem comentários: