3 de agosto de 2012

S. João do Estoril

Povoação da freguesia do Estoril no concelho de Cascais, no início do século XX São João do Estoril era descrito na revista "Ilustração Portugueza", como «uma pequenina povoação talhada em ruas perpendiculares, pouco abundante em árvores e sombras e frequentado especialmente pela burguesia abastada de Lisboa». 

                                                                  Praia de banhos da Poça

                       

                     

                                                                            Forte da Poça

                      

O Forte da Poça foi erguido como parte da linha de fortificações erguida entre 1642 e 1648, por determinação de D. António Luís de Meneses, governador da Praça-forte de Cascais, no contexto da Guerra da Restauração, e que se estendia entre São Julião da Barra e o Cabo da Roca.

Desactivado no século XIX, passou por diversas tutelas que, nas diferentes épocas, deram-lhe distintas utilizações. No século XX, em 1954, foi utilizado como Casa de Chá e, a partir de 1957 foi arrendado a um particular, passando a albergar um restaurante, o que levou a "múltiplas transformações e acrescentos". Depois de funcionar alguns anos como discoteca, encerrou.

  

                             S.João do Estoril.8

         

Ex-libris de S. João do Estoril,os recentemente recuperados antigos "Banhos da Pôça", junto à praia do mesmo nome, datam de 1890, quando Luís Filipe da Matta e Carlos Tavares decidem formar sociedade para explorar as já então afamadas águas da região, com propriedades medicinais e particularmente indicadas para doenças de pele e reumatismo.

Sediado num edifício de cariz Romântico, torreado e com ameias, tornaram-se pelas suas características, condições logísticas e métodos terapêuticos praticados, num dos melhores Banhos do Mundo. Os "Banhos da Pôça" foram igualmente primordial elemento dinamizador do desenvolvimento e crescimento da povoação de São João do Estoril.    

                                              Edifício dos "Banhos da Poça" e anúncio à «Agua Chloretada»                

              

Estas termas deixaram de funcionar em 1922. A época balnear ia de Maio a Novembro. Mas no parque em volta do antigo balneário ainda persistiram por muitos anos as grandes «banheiras» em pedra, onde os aquistas tomavam os seus banhos ao ar livre, transportando a água da nascente da praia.

A actual exploradora do «balneário» da praia ainda recorda esses tempos, e mesmo depois até finais da década de 70, os banhos de chuveiro que fornecia: «Nós tínhamos aí um duche, na rua e uma bomba que puxava água ai do poço, mas depois aquilo secou», e continuou «(…) que ficou aqui foi esta coisa feita pelo meu pai, ele fez aqui este poçozinho e depois as águas continuavam para a praia, mas com as obras e infra-estruturas feitas a montante os filões começaram a desviar e água também se começou a extinguir daqui».

O edifício dos antigos banhos, embora remodelado, ainda se conserva e serve actualmente de Jardim-de-infância.                                                                                

 

 

É também à entrada de São João do Estoril que se situa o forte que servia de residência de férias antigo Presidente do Concelho, Dr. Oliveira Salazar.

                          

 

                           

                                                                   Anúncio em 24 de Junho de 1928

                           

                                                       Restaurante, Bar e Dancing "A Choupana"

      

4 comentários:

Graça Sampaio disse...

Muito lindo! A "minha" linha de Cascais...

Obrigada, uma vez mais e muitas mais, pelo seu extraordinário blog.

José Leite disse...

D. Graça Sampaio

Para mim a chamada "Linha do Estoril" ou "Costa do Estoril" incluindo a região de Sintra, é das zonas mais belas do mundo

Grato pelo seu comentário. Os meus cumprimentos

J. Leite

Da Serra disse...

OForte da Poça já não é "boîte". Está fechado. Penso que a Câmara de Cascais ou já o comprou ou está em negociações para o comprar.
É uma pena ver-se a sua degradação.
Espero que lhe aconteça o mesmo que ao Forte dos Oitavos, totalmente recuperado e local de muita cultura.

José Leite disse...

Caro Da Serra

Muito obrigado pela sua informação.

Já procedi à devida rectificação.

Os meus cumprimentos

José Leite