12 de julho de 2012

Aeroporto de Lisboa entre 1942 e 1947

O Aeroporto de Lisboa na Portela de Sacavém, projectado pelo arquitecto Francisco Keil do Amaral entrou ao serviço em 19 de Outubro de 1942. A sua inauguração simbólica tinha tido lugar na véspera, dia 18 de Outubro, tendo a cerimónia sido presidida pelo Ministro da Obras Públicas e Comunicações eng. Duarte Pacheco. Esta inauguração simbólica teve a colaboração de um bimotor da "BOAC -British Overseas Airways Corporation" que transportou as individualidades oficiais.

                                

O movimento de aviões nesse primeiro dia foi o seguinte: partida de aviões da BOAC para Inglaterra, e da Iberia para Madrid. Chegadas dos aviões da Lufthansa, da Iberia, da BOAC e da Ala Littoria. Um avião da Aero Portuguesa deslocou-se do aeródromo da Granja para este a fim de partir no dia seguinte para Tânger.

                                                                            Torre de Controle em 1942

                                             

                                             

                                                                  Ajudas à navegação e controle aéreos

         

                                                                   Placas de estacionamento de aeronaves

         

                                                             Já agora, para uma informação completa …

                                       

Como dizia o actor «Costinha» no filme "Sonhar é Fácil" de 1951: «aqui não se engana ninguém !» …

No Aeroporto da Portela já estavam  instalados os postos da Polícia Internacional, Guarda Fiscal, Afândega, serviços radioeléctricos e meteorológicos, e escritórios das cinco grandes companhias aéreas: BOAC - British Overseas Airways Corporation, Lufthansa, Ala Littoria, Iberia e Aero Portuguesa. O posto do "SPN - Secretariado de Propaganda Nacional", começou a funcionar dias depois, assim como o  bar-restaurante.

           

                         

A primeira comissão administrativa do Aeroporto de Lisboa foi empossada a 21 de Outubro de 1942, e foi presidida  pelo engenheiro Gonçalo Cabral.

Em 9 de Abril de 1944 é inaugurado o serviço de autocarros da Carris em Lisboa, com 4 autocarros "AEC Regal" ao serviço. Estes mesmos autocarros (num total de 6) já tinham feito a sua aparição na Exposição do Mundo Português em 1940  assegurando a ligação entre o Rossio e a Exposição, e em 1941 na 2ª Exposição Nacional de Floricultura, na Tapada da Ajuda em Lisboa.

                                        

                                        

As carreiras partiam dos Restauradores, um autocarro fazia a ligação ao Aeroporto da Portela sensivelmente de hora a hora por dois percursos alternativos: a nº 1, circulava pela Rodrigo da Fonseca, São Sebastião, Avenidas Novas, Campo Pequeno e Avenida do Brasil; e a nº 2, circulava pela Duque de Loulé, Praça do Chile e Avenida do Aeroporto. Ou melhor dizendo, pelo percurso da nº 2 e pelo da nº 1, já que esta era a ordem real pela qual as viagens alternavam, com a primeira viagem do dia na nº 2 a sair dos Restauradores às 8h e a décima e última na nº 1, com partida do Aeroporto às 21h35.

Em finais de 1946 o Aeroporto de Lisboa, contava com trinta ligações aéreas escalando, ou tendo como destino final a cidade de Lisboa o que o tornava num importante aeroporto para as grandes ligações aéreas. Melhoramentos diversos foram realizados desde a sua abertura, de molde a dotar este aeroporto de infra estruturas e equipamentos técnicos de vanguarda. Acordos de navegação aérea foram firmados entre Portugal, França, Bélgica, Brasil, Holanda, Suiça, Inglaterra, Estados Unidos da América do Norte. Outros foram posteriormente firmados com a Argentina, Venezuela e Cuba.

                                                               Nova configuração da Torre de Controle

                                              

                                        

    «Douglas DC3 - Dakota» da TAP, «Douglas DC4 - Skymaster» da KLM e  «Avro 685 York» da BSAA, em 1947

                                        

                                                          Cabine e Cockpit do «Douglas DC3 - Dakota»

         

                  Diferentes pinturas exteriores nos 8 «Douglas DC-3 Dakota» de 21 lugares, da TAP

                                           1945-1947                                                                        1947-1953

         

                                                                                        1947-1958                                                   

                                          
                                   litografias in: Templar Squadron

Lembro que um avião «Avro 685 York» da "BSAA - British South American Airways" de seu nome "Star Speed" similar ao da foto anterior, em 13 de Abril de 1947, depois de levantar voo do Aeroporto de Lisboa rumo a Dakar (em viagem desde Londres e com destino ao Rio de Janeiro) despenhou-se fora da pista do aeroporto de Dakar devido ao denso nevoeiro pelas 4 horas da manhã. Transportava 5 passageiros portugueses e 3 ingleses 1 brasileiro e 5 tripulantes. Faleceram 2 portugueses (pai e filho) e 3 ingleses.

Entre 1942 e 1946 foram efecuados voos experimentais, para estabelecimento de carreiras, pela "TAP - Transporte Aéreos Portugueses" (fundada em 14 de Março de 1945), para Lourenço Marques e Açores, da KLM e da SAS para a América do Sul; da TWA para o Cairo; da Panair do Brasil para Roma e Cairo; da BSAA entre Inglaterra e Caracas, Londres e Santiago do Chile e ainda Londres Venezuela e Londres Rio de Janeiro; da Aerovias Cubanas Internacionales entre Havana Lisboa e Madrid; da Linea Aeropostal Venezolana entre La Guayra e Roma; da Asociación Mexicana de Viajes entre o México e Lisboa; e finalmente da Pan American Airways entre Nova York Lisboa e Leopoldville.

                                                                        Publicidade entre 1946 e 1947

        

                                       

                                 

          

                                

         

                                 

Foram inauguradas as seguintes carreiras em 1946: da Air France entre Paris e Lisboa e Casablanca e Lisboa; da TWA para o Cairo, Argélia e Tunísia e Tripoli; da KLM entre Amesterdam e Geneve a Lisboa; da A.B.Airtransport entre Estocolmo e Lisboa; da Panair do Brasil entre o Rio de Janeiro, Lisboa, Paris e Londres e Rio Roma via Lisboa; da FAMA entre Buenos Aires e Londres via Lisboa; da TAP entre Lisboa e Madrid; da SAS entre Estocolmo e Buenos Aires via Lisboa ; quatro da BSAA e uma da Pan American Airways, a "Linha Aérea Imperial" da TAP - todas num total de 17 carreiras aéreas estrangeiras, duas portuguesas, uma para Espanha e outra para Lourenço Marques e Angola.

            "Panair" e "Pan Am" na Praça dos Restauradores                                        Cartaz de 1938

            

                                                                                             1946

      

                                                                                             1946

        

Os aviões que passaram, em 1946, pelo Aeroporto de Lisboa não foram exclusivamente destinados ao transporte de passageiros e correio. O "Diário de Lisboa" referia nesse ano ...

«salamandras destinadas á Bélgica; milhares de sangessugas destinadas a laboratórios norte americanos, pintaínhos holandeses vindos para Portugal. E ainda o transporte de penicilina que salvou milhares de vidas; vitaminas para o rei da Arábia Saudita; ananases para a rainha de Inglaterra e cerejeiras para as estufas brasileiras; água de Fátima para um doente do Rio de Janeiro, amostras de cortiça, bordados da Madeira (...) e finalmente 50 mil ovos de truta, para incubação nos lagos do Norte da Palestina ... ».

As empresas fornecedoras e abastecedoras de combustíveis e lubrificantes às aeronaves eram a "Shell Aviation Service" e a "Intava".

                                                                              "Shell Aviation Service"

                                 

                                                                              "Intava Aviation Service"

                                 

Em 1947, além das companhias aéreas referidas anteriormente também escalavam, ou tinham como destino final Lisboa, as seguintes: C.T.A - Companhia de Transportes Aéreos, Sabena, BEA e Swissair e Alitalia

                                         

                     

                                                     

De referir que o ano de 1946 no Aeroporto de Lisboa foi isento de desastres, e que pela primeira vez passaram pelo nosso país os aviões «Lockheed - Constellation», «Vickers - Viking», e os «Bristol - Wayfarer».

                                                     «Lockheed - Constellation» da Pan American Airways                              

        

                                                             «Vickers - Viking» da British European Airways

        

                                                               «Bristol - Wayfarer» da Trans European Airways

        

Neste mesmo ano foram batidos os seguintes recordes aéreos de e para território nacional: um «Douglas -DC4 Skymaster» da TWA estabeleceu entre a Terra Nova e Lisboa o tempo de 9 horas e 53 minutos; e um «Lockheed Constellation» da Linea Aeropostal Venezolana realizou a viagem entre os Açores e as Bermudas em 7 horas e meia.

O "Secretariado da Aeronáutica Civil", promoveu neste ano de 1946: uma série de voos para o tratamento da tosse convulsa; abriu um curso de circulação aérea no Aeroporto de Lisboa; colocou dezenas de elementos de pessoal técnico no Aeroporto de Santa Maria nos Açores; fomentou a ida de pessoal para estágio em escolas técnicas estrangeiras;  enviou delegados a todas as conferências internacionais de aviação civil ou relacionadas com problemas da aeronáutica; iniciou os trabalhos da comissão de segurança de circulação aérea, adquiriu aviões e material.

                                                           

                                       

A 31 de Dezembro de 1946 o "Secretariado da Aeronáutica Civil" dá início às carreiras regulares da "Linha Aérea Imperial" ligando Lisboa-Luanda-Loureço Marques com um aparelho «Douglas DC-3 Dakota» da TAP. Esta ligação teve como escalas: Casablanca, Vila Cisneros, Bathurst, Robertfield, Accra, Libreville, Luanda, Leopoldville, Luluabourg, Elizabethville, Salisbury e Lourenço Marques.

O «Douglas DC-3 Dakota» utilizado, e equipado com dois motores «Pratt & Whitney» de 1.200 cv, percorreu os 12.585 quilómetros em 45 horas e oito minutos à velocidade média de 280 km/h, chegando ao aeroporto de Lourenço Marques a 6 de Janeiro de 1947 pelas 13h e 30m. A 16 de Janeiro partia de Lourenço Marques, de regresso a Lisboa o mesmo avião.

                                                       Tripulação do primeiro voo da Linha Aérea Imperial

                                 

O facto da TAP ter adquirido aviões «Douglas DC-3 Dakota» recondicionados em 1946, expandindo a sua frota, permitiu os voos de exploração da "Linha Aérea Imperial". A 31 de Julho de 1947, o preço duma passagem para Luanda era de 9.607$00 (47,92 €) e para Lourenço Marques era de 14.470$00 (72,18 €) com frequência quinzenal. Em 31 de Dezembro de 1946, o tenente-coronel Humberto Delgado deixa a seu pedido, o cargo de director do "Secretariado Nacional de Aeronáutica", lugar que ocupava desde 27 de Setembro de 1944.

                                                                                       1947

                                       

A 2 de Fevereiro de 1947 despenhou-se um «Douglas DC - 3 Dakota» da "Air France" na Serra de Sintra devido ao mau tempo e perdido no nevoeiro, quando tentava fazer uma aterragem de emergência no aeródromo da Granja do Marquês. Dos 12 passageiros e 5 tripulantes que viajavam no avião apenas um se salvou por ter sido «cuspido» no embate com o solo e ter caído num terreno barrento. Este avião fazia a carreira aérea Paris - Bordéus - Lisboa, em substituição da carreira Paris - Madrid -Lisboa em virtude da interrupção das relações diplomáticas entre França e Espanha. Refira-se que a esta data, cerca de oitenta por cento das aeronaves comerciais no mundo eram «Douglas DC - 3 Dakota» cerca de 3.000.

Em 22 de Março de 1947, foram inaugurados o bar, restaurante e cantina promovidos pelo industrial hoteleiro Alexandre de Almeida. O novo restaurante tinha capacidade para 100 pessoas. No piso superior a sala de jantar envidraçada com vista para o aeroporto onde ficava a esplanada, e no andar inferior a cantina para as tripulações dos aviões assim como o bar. As obras foram executadas pela empresa "Sociedade de Construções Amadeu Gaudêncio, Lda."

 

                                                      Localização privilegiada do Restaurante e Esplanada

                     

                                         87

Em 2 de Maio de 1947 a TWA inauguraria uma nova carreira aérea, que assegurava aos portugueses um meio rápido de comunicação com as colónias da Índia e Timor. A nova careira directa feita por aviões «Douglas DC-4 Skymaster» tinha a seguinte rota: Estados Unidos - Santa Maria - Lisboa - Madrid - Argel - Tunis - Cairo - Daharan - Karachi e Bombaim. O percurso era efectuado em 33 horas e trinta minutos. Em Lisboa os aviões embarcavam passageiros, carga e correio para a Índia portuguesa. A carreira era semanal, escalando Lisboa no regresso, às terças-feiras.

Seria a 30 de Maio de 1947 que a TAP receberia o primeiro «Douglas DC-4 Skymaster» entregue na Holanda, chegado a Lisboa no mesmo dia, onde tinha sido reconvertido de avião militar para avião civil. O segundo avião, foi batizado em 15 de Junho do mesmo ano de "Santa Maria", inserido nas comemorações o 25º aniversário da 1ª Travessia Aérea do Atlântico Sul, com a presença do Almirante Gago Coutinho.

                                                                           «Douglas DC-4 Skymaster»

                                 

        

Em 4 de Agosto de 1947 a TAP inicia as carreiras aéreas para a cidade do Porto até então interrompidas. O voo, diário, tinha a duração de 1h e 15m e passagem simples custava 280$00 (1,40 €) e de ida e volta 504$00 (2,70 €). Esta ligação aérea entre o Porto e Lisboa, até ser interrompida tinha sido assegurada desde 2 de Dezembro de 1945 pela C.T.A. - Companhia dos Transportes Aéreos.

Foi em 1947 que as três pistas do aeroporto foram prolongadas. Duas que tinham 1.100 mts. de extensão passaram a 2.000 mts., e uma de 1.300 mts passou a ter também 2.000 mts de extensão. Adicionando estas a outras mais pequenas o aeroporto ficou com seis quilómetros de pistas. Lembro que até este ano o Aeroporto de Lisboa não dispunha ainda de radar para ajuda à navegação aérea.

                                                  Pistas iniciais com o Aeroporto em fase final de construção

                                        

fotos in: Arquivo Municipal de Lisboa, Biblioteca de Arte-Fundação Calouste Gulbenkian, Hemeroteca Digital, Airliner.net, Airline Timetable Images, Voa Portugal

12 comentários:

amg disse...

excelente, excelente trabalho!

José Leite disse...

Caro AMG

Grato pelas suas palavras

Cumprimentos

J. Leite

Bruno disse...

Parabéns, este é o blog mais completo que eu vi até hoje, excelente.

José Leite disse...

Caro Bruno

Agradeço as suas simpáticas palavras em relação a este blog.

Os meus cumprimentos

José Leite

Lou Schoonbrood/Holland disse...

Very fime commentary and pictures.What I miss is some story about Sintra airport which was operated for commercial airlines after the start of World War 2 and before Portella opened.
Sorry for not writing in Portuguese!

José Leite disse...

Dear Lou Schoonbrood

Thank's for your comment

Best regards

José Leite

Coordenador TIC Sabóia disse...

Finalmente uma coisa que estava a procura. De momento quero recontruir o antigo aeroporto de Lisboa para X-Plane, e estas fotografias ajudam bastante para continuar com meu trabalho. Muito abrigado por fazer upload dessas fotografias preciosas

Luar disse...

Que Blog fantástico, não percebo como é que só agora dei com ele, parabéns!!

José Leite disse...

Vale mais tarde que nunca ...

Cumprimentos

José Leite

Amora Bruegas disse...

Parabéns pelo trabalho. Pena não fazer alusão aos empresários que criarama TAP. Fico aguardando.

José Leite disse...

D. Amora Bruegas

Grato pelo seu comentário.

Quanto aos empresários que criaram a TAP decerto encontrará na etiqueta TAP

Os meus cumprimentos

zazie disse...

Que maravilha!