22 de fevereiro de 2012

I Circuito Internacional do Porto

A primeira edição deste Circuito automóvel com o nome formal de “Circuito da Boavista”, realizou-se em 1931, tendo-se a destacar três aspectos: aconteceu num ano em que foram organizados um total de 8 circuitos em Portugal; para se determinar o vencedor utilizou-se o sistema de “handicap” (à imagem do utilizado no golfe) tendo sido a primeira e última vez no nosso país; e o circuito era constituído por duas longas rectas nas faixas laterais da Avenida da Boavista (devidamente alcatroadas), unidas por duas curvas com um raio de 10 metros.

Esta competição foi ganha por Fernando Palhinhas ao volante de um «Singer» Junior Sport, curiosamente um dos pilotos com maior “handicap”, o que fez com que tivesse apenas que percorrer 30 voltas em vez das 50 definidas para o circuito. Já nos dois anos seguintes, 1932 e 1933, a corrida era ganha por quem percorresse a maior distância no tempo fixo de 90 minutos, divididas em duas categorias distintas: «Sport» e «Corrida». Segundo os dados da Imprensa da época, o número de espectadores oscilou entre as 10.000 e os 12.000.

                                                    Circuito Internacional do Porto, em 1950

                    

O ano de 1950 marcou uma viragem total na história do “Circuito da Boavista”, que surgiu reconfigurado e redimensionado, com um novo traçado de 7.775 metros, após a inclusão de novas ruas e estradas, como foi o caso da Estrada da Circunvalação, a Avenida Dr.Antunes Guimarães e a Rua do Lidador. Além disso, o ACP - Automóvel Club de Portugal”, responsável pela organização, alargou os horizontes da corrida atribuindo a esta um cariz internacional, conseguindo com isso a participação de mais e melhores pilotos nacionais e de alguns dos grandes talentos internacionais. Foi então criado o “I Circuito Internacional do Porto”, que se realizou a 18 de Junho de 1950.

                                   Dois «Allard» J 2, «Cisitalia - Abarth» 204 A e «Ferrari» 166 Inter

                              

                                              

Nesta primeira iniciativa internacional, na categoria de carros «Sport» há a destacar os factos de a «Ferrari» se ter estreado no nosso país nesta corrida com dois automóveis, sendo um deles pilotado por uma mulher: Yvonne Simon, e a grande afluência de público, descritos pelo ACP e pela revista “O Volante” como sendo 100.000 e 150.000, respectivamente. No dia anterior a 17 de Junho já tinha tido lugar a corrida de motos nas categorias de 350 cc e 500 cc.

                                           Ferrairi 166 Berlinetta Touring, nº 2 de Yvonne Simon

                             

A prova, que teve início às 15 hora e 25 minutos, contava com 40 voltas ao circuito totalizando 311 quilómetros. Cada volta tinha 7.750 metros, dezassete curvas e duas rectas a da Avenida da Bovista com 2 quilómetros e a da Avenida Epitácio Pessoa, com 1.400 metros. O júri técnico foi composto por oito personalidades: Dr. Mário de Gusmão Madeira, engº Ribeiro Ferreira, José Augusto dos Santos, Tomás Pinto Basto, engº João de Korth, Jorge Novais, Alfredo Marinho e Xavier de Almeida.

                                                          Carros alinhados na grelha de partida

                             

Alinharam à partida do “I Circuito Internacional do Porto”:

2 -   Mme Ivone Simon - «Ferrari» 166 Berlinetta Touring
3 -   Thomas Wisdom - «Jaguar» XK 120
4 -   Palvarani - «Fiat» 508 CC
7 -   Manuel Nunes dos Santos - «BMW» 328
8 -   Aquiles de Brito - «Jaguar» XK 120
9 -   António Camilo Fernandes - «Riley»
10 - Felice Bonetto - «Alfa Romeo» 8 C 2900 B Mille Miglia
11 - Piero Carini - «Osca - Maserati»
12 - Fernando Palhinha - «FAP» (Fiat-Adler-Palhinhas) 1100 
14 - Maurice Tocheport - «Simca» 8 Tank
15 - Giovanni Bracco - «Ferrari» 166 Inter 
16 - Emilio Romano - «Cisitalia - Abarth» 204 A
18 - José Cabral - «Allard» J 2
19 - Casimiro de Oliveira - «Allard» J 2

Faltaram à chamada: José de Almeida Araújo (Conde de Monte Real), em «Talbot»; Huc., em «Simca»; Pierre Neyrat, em «BMW» e Jean Estager, em «Talbot».

                                                       Casimiro de Oliveira no seu «Allard» J 2

                            

                                                              Piero Carini - «Osca - Maserati»       

                            

           Fernando Palhinha, em «FAP» 1100, seguido de Manuel Nunes dos Santos, em «BMW» 328

                            

fotos anteriores gentilmente cedidas por: Retrovisor

Resultados do “I Circuito Internacional do Porto”:

1º lugar - Felice Bonetto em «Alfa Romeo» 8 C 2900B Mille Miglia , um carro construído em 1938, foi o grande vencedor do circuito portuense, à média de 116,43 Km/h, depois de ter vindo a rolar pela estrada desde Itália! … e ter feito os últimos 100 metros sem gasolina antes de cortar a linha de meta. O consagrado piloto italiano, conhecido pelo seu inseparável cachimbo, viria a ser uma das primeiras vítimas mortais do futuro Campeonato do Mundo de Marcas, iniciado em 1953, quando se despistou ao volante do seu «Lancia» D24, na “Carrera Panamericana”, no México, nesse ano.

                                 1º classificado: «Alfa Romeo» 8 C 2900 B Mille Miglia, de Felice Bonetto

 

Este «Alfa Romeo» de 4,48 metros de comprimento, estava equipado com motor de 2.905 cc. com 8 cilindros em linha, caixa de 4 velocidades+marcha atrás, e pesava 1.250 quilos. Atingia a velocidade máxima de 160 km/h.

             Felice Bonetto                                                         «Alfa Romeo» 8 C 2900 B Mille Miglia                              

               

2º lugar - Piero Carini, em «Osca-Maserati»
3º lugar - Thomas Wisdom, em «Jaguar» XK 120
4º lugar - Yvonne Simon, em «Ferrari» 166 Berlinetta Touring (a 2 voltas do 1º).
5º lugar - Manuel Nunes dos Santos, em «BMW» 328 (a 3 voltas do 1º)
6º lugar - Emilio Romano, em «Cisitalia-Abarth» 204 A (a 4 voltas do 1º)
7º lugar - Fernando Palhinha em  «FAP» 1100 (a 5 voltas do 1º)
8º lugar - António Camilo Fernandes em «Riley» (a 6 voltas do 1º)

                                  

Devido ao enorme êxito da primeira edição, o “2º Circuito Internacional do Porto”, realizado a 17 de Junho de 1951, levou à elaboração de um mais arrojado programa por parte do ACP, designado de “Grande Prémio de Portugal”. Dos cerca de 30 pilotos esperados na prova, 16 eram estrangeiros. O número de espectadores, estimados foi de cerca de 100 000. Em 1952 o uso de capacete tornar-se-ia obrigatório.

                                                                  “I Grande Prémio de Portugal”


foto in: Vantagem Comparativa                               foto in: Heróis

Portugal conseguiu ter o seu primeiro Grande Prémio de Fórmula 1, neste circuito da Boavista a contar para o “Campeonato do Mundo de Condutores”, a 24 de Agosto de 1958, vencido por Stirling Moss num «Vanwall».

                                                

1 comentário:

SquadraAlfaRMadeira disse...

Fantástico trabalho. Parabéns.
Um pormenor.
o Alfa Romeo que o Felice Bonetto participa no Porto não é um Alfa Romeo 8C 2900 B Mille Miglia...
se reparar, até o desenho apresentado, esse sim do 8C 2900B Mille Miglia Corsa, que nunca correu em Portugal...
repare no desenho e nas fotos, e concluirá que tenho razão.
Este mesmo Alfa Romeo, teve um acidente, nas mãos do Bonetto, que mais tarde a casa Vignale recupera com nova carroçaria, muito bonita.
Saudações Alfistas.
Marco Pestana
www.SquadraAlfaRomeoMadeira.blogspot.pt