5 de dezembro de 2011

Serviço Telefónico Automático

As primeiras experiências telefónicas em Portugal ligam Carcavelos à Central do Cabo em Lisboa, em 1877. A primeira exploração das redes telefónicas de Lisboa e Porto foi concedida, em Portugal, por contrato celebrado em 1882, à “Edison Gower Bell Telephone Cº. of Europe, Limited”, ficando reservada ao Estado a implantação do serviço no resto do País. Em 1887, a concessão da Edison foi para “The Anglo Portuguese Telephone Company” (APT), dada a necessidade de criar uma empresa específica para o serviço telefónico português. Restante história do telefone em Portugal consultar o post intitulado O Telefone em Portugal ... (1)

                                                                                            1916

                                              

Antes de as ligações telefónicas serem automáticas as mesmas eram estabelecidas pelas operadoras da “APT - Anglo Portuguese Telephone”, pelo que os telefones não possuíam disco de marcação.

          Telefone de mesa de ligação manual «Aptofone»    1930    Telefone de mesa de ligação manual «Siemens»

         

                                       

O primeiro serviço automático de telefone foi inaugurado em Portugal em 30 de Agosto de 1930, na Estação da Trindade, na Rua Nova da Trindade em Lisboa, e que viria a ser a primeira central automática portuguesa. Nesta cerimónia esteve presente o Presidente da República General Óscar Carmona que efectuou a primeira ligação oficial automática em Portugal.

                           Descarga do material para a montagem da Central automática , na Estação da Trindade

                       

                                            Testes do sistema telefónico automático na Estação da Trindade

         

                 General Óscar Carmona efectuando a primeira ligação automática na Trindade, e o telefone utilizado

                  

O telefone de mesa tipo coluna «Siemens» que foi utilizado, a 30 de Novembro de 1930 (na foto anterior), na cerimónia de inauguração na Estação da Trindade viria a ser posteriormente instalado no gabinete do Presidente da República General Óscar Carmona, pelo que apresenta o escudo de Portugal, na coroa do marcador.

                    Publicidade em 1930 e, em 1960 na comemoração do trigésimo aniversário do serviço automático 

         

                                   

                                              

                                                    Em 1931 são inauguradas as cabines públicas no Rossio

           

                          Primeiros telefones, de 1930 a 1934,  já com disco de marcação para ligações automáticas

                               Telefone tipo coluna «Siemens» de 1930            Telefone de parede de 1930

                                  The Anglo Portuguese Telephone.25

                                     Telefone comutador «Ericsson», comportando 3 linhas 10 extensões de 1930

                                              

                           Telefone de mesa «Aptofone» com disco de marcação, introduzido no mercado em 1934 

          The Anglo Portuguese Telephone.2 (2)

Em, 27 de Outubro de 1934 é inaugurado o serviço automático na Estação Norte no Porto, na rua da Picaria, e em 25 de Setembro de 1937 a APT inaugura a Estação Telefónica Automática da Estrela, em Lisboa e que seria a primeira estação automática a ser construída de raiz. Nesse ano a rede da APT tinha 48 000 assinantes. Em em 30 de Novembro de 1946 é inaugurada a Estação Telefónica Automática do Campo Pequeno na Avenida de Berna, em Lisboa.                              

                                                 Descarga de material na futura Estação do Campo Pequeno

                                        

                                              

e para terminar, um cartaz da APT que coloca uma questão pertinente …

                                        

fotos in: Fundação Portuguesa das Comunicações, Hemeroteca Digital

7 comentários:

Anónimo disse...

gostava de lhe pôr uma questão que venho observando pelas fotos do blog, sendo que o governo governa e o presidente apenas preside , porque nunca se vê o presidente do concelho em inaugurações ? a honra era dada ao presidente ?(diferente de hoje caso seja isso), não existe muitas fotos talvez por terem sido destruídas depois de 74?simplesmente não procurava tirar protagonismo de obra feita ?é um mero acaso do que é inserido no blog?se possivel gostava de uma resposta sua , atentamente um leitor seu

José Leite disse...

Caro Anónimo

Não se trata de um mero acaso. Realmente o presidente do concelho , Dr. Oliveira Salazar, não "perdia" tempo com inaugurações deixando essa tarefa para o Presidente da República. Apenas comparecia nas muito importantes como participação de Portugal em feiras universais, Ponte Salazar, recepção a chefes de Estado, reis e rainhas de países estrangeiros e outras.

Após a morte do, já, Marechal Óscar Carmona em 1951 subiu ao cargo o então Ministro da Marinha Almirante Américo Thomaz. Continuou este a tratar das inaugurações. Chegaram a alcunhá-lo do corta-fitas.

Hoje existe também "corta-fitas", do que o último 1º ministro foi exemplo, apenas o regime mudou, os protagonistas tambem e as necessidades de protagonismos também ...

Cumprimentos

José Leite

Francisco Palhinhas dos Santos disse...

Excelente artigo !!

José Leite disse...

Sr. Francisco dos Santos

Grato pelo seu comentário

Cumprimentos

José Leite

Chicapa disse...

É bom que as novas gerações saibam destas verdades.

José Leite disse...

Caro Chicapa

Como já diziam os nossos antepassados "o saber não ocupa lugar".

Cumprimentos

José Leite

Portas e Travessas.sa disse...

Caro Amigo.

Antes do Almirante Thomaz esteve o Craveiro Lopes, não foi?

Quando a Rainha Isabel visitou Portugal, foi Salazar que acompanhou a Rainha, sempre - cujo O RRoyce comprou-se a Inglaterra , (ja o vi por aqui no Blog)

Memorável a Visita da "minha Tia" Isabel - eu tenho a idade do Carlos, seu Filho.

Rainha Isabel era mulher bonita , ainda hoje, aos meus olhos.

Obrigado José Leite pela oportunidade