14 de setembro de 2011

Porto do Funchal

Os transportes de pequena cabotagem, de mercadorias, géneros e passageiros, até finais do século XIX, entre o Funchal e as povoações litorais da Madeira e para a ilha de Porto Santo, eram feitos por barcos de vela e a remo (“carreireiros” ).

                             

                                           Ilhéu de Nossa Senhora da Conceição, no século XIX

                             

Em 1756 foi estabelecida a exploração do Porto do Funchal por Carta Régia emanada por José I de Portugal, na qual se autorizava o início das obras para construção de um porto de abrigo. O primeiro cais de embarque do Funchal surgiu, assim, até ao Ilhéu do Forte de São José, obra finalizada em 1762.

Foi neste Ilhéu, em 1419, que os navegadores portugueses João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira, ao descobrirem a Madeira se refugiaram antes de entrarem na ilha. É por consequência a primeira residência oficialmente conhecida, na Madeira,  e das mais antigas fortalezas ainda existentes graças aos esforços dos seus proprietários.

      Ilhéu do Forte de São José à direita no desenho de 1859, e Ilhéu de Nª Sª da Conceição à esquerda

                             

    Entre 1885 e 1890 foi construído o prolongamento do cais até ao ilhéu de Nossa Senhora da Conceição

                             

               Forte de São José à direita na foto, e na ponta do molhe o Ilhéu de Nª. Sª. da Conceição

                             

Em 1913 foi criada a Junta Autónoma da Obras do Porto do Funchal, porque o cais até ao Forte de Nossa Senhora da Conceição e os acessos viários entre a Pontinha e a Alfândega, tornavam premente a necessidade de criação de um organismo gestor da área portuária.

Antes da cidade do Funchal de ter cais acostável para navios, estes fundeavam na baía e os passageiros, e cargas, eram transportados para terra em barcaças a remos e pequenos “vapores”  até ao cais da cidade.

                                    Baía do Funchal, em 1931                                                             Porto de abrigo

       

Iniciado em 1889, veio substituir um antigo cais da segunda metade do séc. XVIII, na chamada Pontinha, junto ao forte de S. José, em frente à Penha de França. O novo cais só foi concluído em 1895. Substancialmente ampliado, em 1930.

                                                      Cais do Funchal no início do século XX

                               

   Desembarque de passageiros do paquete, em 1936           Embarque e desembarque de passageiros no cais

 

                                                         Venda de bordados junto a um navio

                            

                                                        Cais do Funchal já aumentado, em 1939

                             

Já em finais do século XIX e inícios do século XX, os transportes de mercadorias, géneros e passageiros, entre o Funchal e as povoações litorais da Madeira, e também para a ilha de Porto Santo, começaram a ser efectuados em pequenos barcos a vapor que a seguir dou alguns exemplos.

            “Falcão” - Vapor de carga e passageiros. Construído em Inglaterra em 1880, navegou até 1975

                             

                                                      “Gavião” -  Vapor de carga e passageiros

                             

                                        “Gavião”, numa belíssima pintura de Fernando Lemos Gomes

                             

O vapor “Gavião”, pelas suas dimensões e características já fazia viagens até Ponta Delgada nos Açores, e Porto Moniz na Madeira. Assegurava especialmente a carreira do Porto Santo. Construído na Escócia em 1897, foi transformado em fragata para transporte de carvão em 1913, naufragou em Dezembro de 1926 durante um ciclone.

                         “Lobo” - Vapor essencial no abastecimento de carvão à navegação atlântica

                             

Em Maio de 1933 foi concluída a construção do cais da cidade e, em 1939 foi aumentado em 317 metros o cais de acostagem do Porto do Funchal. Obras de referência do início do século XX foram, igualmente, os diversos pequenos cais construídos à volta da ilha que facilitaram o abastecimento das populações.

Em 1955, foi concluída a construção de um cais próximo aos cais do Carvão: o Cais Regional, onde passaram a atracar os serviços de carga e passageiros dos "carreireiros" da ilha de Porto Santo. Em 1953 tinha já sido elaborado um projecto de ampliação do Porto do Funchal que consistiria no alargamento do cais em todo o seu comprimento e no seu prolongamento em mais 457 metros. A intervenção conclui-se em 1961. Ficaram nesta data criadas as estruturas fundamentais para o desenvolvimento daquele que é hoje o Porto do Funchal

                                                    O cais acostável, nos anos 50 do século XX

                             

O hidroavião foi o transporte aéreo que ligava a Ilha ao Mundo, antes da construção do Aeroporto Internacional da Madeira, em 1964. O primeiro hidroavião amarou a 22 de Março de 1921. Foi o hidroavião "Felixtowe F3" da Aviação Naval Portuguesa que amarou pela primeira vez a baía do Funchal ( consultar post de 25 de Dezembro de 2009, na etiqueta "’Funchal’ ).

                                    Os hidroaviões amaravam frente ao cais da Pontinha, no Funchal

                             

fotos in: Site do Inocente, Clube de Entusiastas de Navios  e pintura in:  Blogue dos Navios e do Mar

Sem comentários: