15 de junho de 2010

Submarinos Portugueses

O submarino “Espadarte” foi o 1º  a entrar ao serviço da Marinha Portuguesa em 15 de Abril de 1913.

Este submarino foi o único da Classe Espadarte

                                                    Submarino Espadarte (1913-1934)

                             

Foi mandado construir em 1907 no reinado do Rei D. Carlos. Este submarino estava armado com 4 torpedos. Deu origem à Classe Foca.

Nesta Classe Foca  faziam parte:  “Foca” (1917-1934) ,  “Hidra”  (1917-1934) e “Golfinho” (1917-1934). Estes submarinos serviram durante a I Guerra Mundial em missões de patrulhamento da costa portuguesa.

                                                            Submarino Hidra (1917-1934)

                             

Os navios da classe foram desactivados em 1934, com a entrada em serviço dos novos submarinos da Classe Delfim.

Classe Delfim foi um modelo de submarinos que serviu a Marinha Portuguesa entre 1934 e 1950.

                                                      Submarino “Delfim” (1934-1950)

                             

Até à actualidade estes foram os submarinos de maior tonelagem a servir a Marinha Portuguesa.

Os três submarinos da classe, “Delfim” (1934-1948), “Espadarte” (1934-1948) e “Golfinho” (1934-1948), constituíram a 2ª esquadrilha de submarinos da Marinha Portuguesa, tendo prestado serviço durante a Segunda Guerra Mundial. Foram  substituídos, em 1948, pelos submarinos da Classe Narval.

A Classe Narval foi uma classe de ao serviço da  Marinha Portuguesa entre 1948 e 1969 .

                                                     Submarino “Narval” (1948-1969)

                             

                                                       Submarino “Neptuno” (1948-1967)

                             

Os submarinos foram construídos em Inglaterra em 1940  eadquiridos pela Marinha Portuguesa à Royal Navy em 1948 em , indo complementar e substituir  os submarinos da Classe Delfim , que estavam ao serviço desde 1934.

Estes submarinos formaram a 3ª esquadrilha de submarinos da Marinha Portuguesa. Os três submarinos foram baptizados com designações ligadas ao Mar, cuja inicial era a letra N. o “Narval” (1948-169), “Náutilo” (1948-1969) e “Neptuno” (1948-1967).

Por sua vez os submarinos da Classe Neptuno, foram substituídos, entre 1967 e 1969, pelos da Classe Albacora

A Classe Albacora é a variante da Marinha Portuguesa da classe de submarinos Classe Daphné de origem francesa.

Submarino “Barracuda”, ainda em actividade desde 1968

                             
Fotos in: NRP Álvares Cabral                           

Em 1964 o Governo Português encomendou a construção de quatro submarinos desta classe aos Estaleiros Dubigeòn, que vieram constituir a 4ª esquadrilha de submarinos da Marinha Portuguesa, sendo operados desde 1967.

Cada submarino foi baptizado com o nome de um animal marinho, cuja inicial (A, B, C ,D) indicava a sua ordem de incorporação. “Albacora” (1967-2000), “Barracuda” (1968-), “Cachalote” (1969-1975) e “Delfim” (1969-2005).

Estes submarinos foram optimizados para missões nas zonas costeiras e oceânicas, e de patrulhamento de áreas, especialmente a nossa  Zona Económica Exclusiva.

Esta classe vai ser substituída brevemente pela Classe Tridente estando 2 unidades a ser concluídas na Alemanha. Seus futuros nomes: “Tridente” e “Arpão”.

1 comentário:

Anónimo disse...

Ao que sobrou da classe albacora, deviam pintá-lo de amarelo e vendê-lo em leilão. aproveitando esta onda de beatlemania. E com sorte um russo ou um árabe davam pelo submarino amarelo o valor de um dos novos da classe tridente.